unnamed (1)Antes de criticar vamos aprender a apreciar essa arte que literalmente é jogada ao vento. Tive a oportunidade de ter contato com um pouco desse universo de baloeiro, que ainda é visto com preconceito. Não estou aqui para defender a pratica mais sim a arte. Que além do mais desenvolveu seu processo de criação para que na hora tão esperada, no “voo da fênix”  nem na sua aterrissagem,  não cause nenhum risco a sociedade.

Com o pouco que conheci, o ato e fato de ser “baloeiro“ torna –se  um estilo de vida. Pois o trabalho para desenvolver esse projeto, que é dado de graça a atmosfera alheia é constante e cansativo. Ocorre toda uma logística por trás dessa arte, é um projeto muito bem pensado. Para os poucos conhecedores, o papel usado como revestimento para os balões, possui uma grande limitação de cores que possam ser aplicadas, portanto vale da criatividade do designer para criar um belo desenho e encaixa-lo numa pequena gama de cores, sem que o mesmo perca a vida.

Cada equipe forma uma verdadeira família, que desenvolve o projeto de criação e processamento do balão. Todos lutam por um mesmo objetivo, muito além de alcançar as nuvens. Muita arte há no universo baloeiro e a muito a se dizer!

Antes de criticar vamos ver o outro lado da história – uma informação que poucos sabem, é que a algum tempo existem equipes oficiais de baloeiros que soltam balões sem fogo, e em alguns casos tem a presença de policiais nessas solturas.

A maior tragédia para quem cria essa arte, é pensar que a arte é de sua propriedade, digo isso pelo pouco que vi. Percebo que o baloeiro não pode se apaixonar pelo balão, pois o balão já está compromissado com céu.

Imagens de arquivo pessoal.unnamed (2) unnamed (3)

Imagens | Planeta Balão

unnamed

sdFelipe Pedroso

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: