É verdade que estar só é duro?

É verdade que estar só é duro? A solidão procura qualquer alma que acredite que sim. Quando ela encontra alguém que creia do fundo da alma que está só, então ela se instaura.

Mas a alma que percebe que, por ser alma nunca está só porque tem um ser vivo junto consigo; tem por amiga toda a complexidade e a estranheza monumental – olhando pela perspectiva unicelular, por exemplo – que é ela mesma. Abraça o choque do paradoxo de ser esta coisa que se acha alguém, sendo um simples edifício orquestrado por químicos e coisas repugnantes.

Isso sem falar de todo o mistério envolvido em ser alguém que percebe que isto está aí, algo que se chama de alguém. Qual é a fucking divisa entre isto e o saco de ossos e carne? O que é isto? E, provavelmente isto, só é um eco de genes e culturas.

Enquanto isso, lá fora espreita aquela estranha quimera, que se chama solidão. Mal sabe ela: estou aqui, sozinho, pensando nisso. Além disto tem os livros também.


Crônica enviada pelo músico e leitor Asaph Eleutério. Quer ter seu texto publicado aqui no Regra? Encaminhe um e-mail para regradostercos@gmail.com.

 

Advertisements

One comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s