A conversa que todo mundo deveria ter antes do primeiro beijo

Olá, muito prazer.

Espero não te assustar depois do que eu tenho para dizer, mas olha só, cê tá meio que querendo ficar na minha vida, então eu vou ter que te explicar umas coisas para que amanhã você não ache que eu te enganei de alguma maneira- porque olha, eu já me enganei e se tivessem me avisado antes, eu teria agradecido. Então, é só que é bom deixar muito claro que eu não chego nem perto da perfeição, não. Eu sei, você fica aí dizendo que o meu sorriso é isso, a maneira como eu encaro as pessoas é aquilo, mas não… Esquece isso de que eu sou um ser perfeito, porque eu definitivamente não sou. Mas olha, eu sei fazer um café da manhã dos bons e sou do tipo de pessoa que ama ouvir as histórias alheias, então, isso eu até acho que pode ser um motivo bacana pra você querer sentar comigo em qualquer horário e falar de você. Isso tudo sempre terá gosto de café e talvez um vinho, a gente pode revezar se você quiser.

Eu tenho um carinho especial pela vida, mesmo dentro de tudo de mais complexo que ela carrega. Na minha opinião nada no mundo pode ser mais bonito e violento do que a vida e as coisas que ela volta meia nos tira e nos dá. Eu consigo ver uma certa beleza na ascensão e declínio natural das coisas e até existe um termo em chinês que explica isso e se chama wabi-sabi, definitivamente isso me define. Por ver na dor uma beleza honesta, perdi o medo de me permitir certas coisas e consigo dividir a mesa com as frustrações e meus demônios, é um bom modo de se aceitar e carregar de maneira mais digna aquilo que realmente somos por essência, mas nem sempre é visto com bons olhos. Talvez seja por isso que eu não tenha medo de pegar as minhas coisas e mudar de cidade, tentar um novo emprego, conhecer gente nova e acabar deixando- sem culpa- o que não me realiza para trás. Eu sempre fui uma pessoa de partidas, é bom que você saiba isso. Porque corre o risco de eu sair da sua vida e você não perceba. Ainda assim, tenho medo de um dia acordar e não ter pra onde voltar, pra quem voltar, um colo para repousar. Eu admiro o amor que nos arrebata, no rompe, invade, constrói e mutila e talvez até nos destrua. Me arrepia uma vida sem essas sensações todas e, claro, só pra adoçar, um bocado de arrependimentos das doses de loucura que a gente não deixou passar em branco. Porém, o amor tranquilo, calmo e equilibrado, tem meu apreço e eu sorrio ao ver algo assim.

Tenho problemas de me relacionar. Dos grandes! Eu sei que não parece, que eu meio que me dou bem com todo mundo, mas deixar alguém realmente fazer parte de mim de maneira profunda é meio difícil. Aquilo de gostar do que me invade é verdade, mas não acontece com tanta simplicidade e com romances batidos. Não. Eu saio e volto, quando cê vê eu já resolvi tudo, arrumei as lâmpadas e não preciso mais de nada. Então, dependência é uma coisa bem complicada pra mim. Troco os épicos por uma declaração na fila do pão ou por um silêncio bem compartilhado. Contudo, se você realmente quiser continuar por aqui, não ache que você será só mais alguém. Ninguém é só “alguém” pra mim, eu não me permito mais essas superficialidades e achei ótimo reconhecer isso assim, tão jovem. E olha, se você quiser conversar de madrugada vai encontrar uma boa companhia, mas isso de sair 6h da matina pra correr? Esquece. A gente comerá bons pudins e sorvetes, eu adoro brigadeiro de colher que amanheceu na geladeira, um bacon bem frito no meio do pão e talvez  você acabe me vendo nas semanas de muita salada e sem carboidratos, mas você jamais irá me ver trocar meu cineminha com pipoca e manteiga, por aquela esteira ali da academia. Me desculpe. O colesterol virá mais tarde, eu sei.

É mais ou menos isso. Só queria avisar que eu durmo com facilidade em qualquer lugar e no meio de uma frase, detesto acordar cedo e fazer média com pessoas rasas, também não consigo de maneira alguma dar o braço a torcer numa boa discussão sobre política, sociedade, coisa e tal. Adoro argumentar, dar o meu lado, insistir mais um pouco. Mas desisto de uma maneira tão definitiva, tão concreta, que é meio triste pra quem espera que eu vá continuar ali pedindo um bocado de atenção ou algo assim. Eu também meto o pé na porta e entro onde eu quero. Tropeço na entrada e esbarro na saída, quebro copos, taças e já torci o tornozelo esquerdo seis vezes. Adoro cachorro, adoro bebês, não consigo lidar bem com sentimentos, mas quando eu gosto, olha, eu gosto mesmo. E pra te dar minha sinceridade, eu vou te dizer, eu gosto mesmo dessa parte onde você ocupa um espaço sem me pedir muito. Gosto sim, de saber que você tá aí me olhando direto, com seus medos e com suas regras de conduta. Legal. Mas olha, eu só queria avisar que por mais linhas tortas que me componham, por mais defeitos que eu venha te mostrar daqui pra frente e frustrações que possivelmente você irá encontrar… Se você quiser ficar, se você quiser topar, eu prometo que também topo. É só que eu não queria te enganar.

E você? Quem é?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s