Eu já fui invisível, assim como você

transtornoOi, quero falar com você se que sabe que é invisível. Eu quero te contar um pouco sobre como eu me sinto, quem sabe assim o seu sentir se faça mais claro na sua cabeça. Quando eu era criança olhava para as outras pessoas e podia ver nos gestos delas o quão diferentes eram de mim. Lembro-me de uma árvore que tinha no meio da arquibancada da escola, era o lugar onde ninguém se arriscava sentar, pois as folhas caiam e deixavam tudo com a aparência meio feia – pelo menos era assim que as pessoas viam -, não pra mim. Aquele era o meu pequeno pedaço de paraíso.

Mas nesse paraíso a felicidade não fazia morada. Eu me lembro de olhar para aqueles adolescentes contentes, que iam de um lugar para o outro, sem tardar em escancarar os seus sorrisos, e me perguntava o motivo que me levava a ser tão diferente deles. Eu demorei a fazer amizades, demorei a ter coragem para chegar em uma garota, demorei para me sentir útil nessa Terra. Ninguém sabia que me sentia assim. Por isso vim aqui falar com você, que não tem ânimo para sair por aí e mandar o mundo ir à merda – hoje eu consigo, então talvez amanhã você também possa.

Vim falar contigo para lhe avisar que já fui como você – ainda meio que sou -, por isso sei que um dia você só será esse garoto às vezes. Na maioria do tempo irá sorrir para as outras pessoas, e fará coisas para que elas lhe sejam gratas. Talvez um dia você seja bem quisto pelos outros e verá todo o esforço que fez para ser aceito gerar resultados. E quando o menino da árvore voltar? Bem, eu escrevo, provavelmente você também encontrará sua válvula de escape.

Quando eu era apenas o garoto que sentava embaixo da árvore eu não pude ler nenhum texto assim, talvez isso tivesse me ajudado a pelo menos perceber que eu não era menor ser humano dessa Terra. Existem outros pequeninos por aí, essa notícia teria me ajudado a mudar um pouco meus dias. Mas bem, agora você já sabe e se precisar conversar sobre isso me manda um e-mail [ericknreis@gmail.com], pode ser? Desejo sorte pra você garoto(a),e sei que provavelmente nem nos conhecemos (ou nos conhecemos?), mas não estou brincando que você pode me escrever.

Um grande abraço.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s