Marcas invisíveis

marcas-invisiveis
“A vida nunca foi fácil, honestamente, e eu até prefiro que continue assim, pois todas essas marcas (in)apagadas fazem parte de quem sou.”

Já fui massacrado demais nessa vida e se eu parasse para narrar todos os episódios, talvez eu ficasse nisso por vários dias e até um pouco mais. Acredito fielmente que tudo o que acontece com a gente tem uma razão. Às vezes ela não é uma das melhores, admito, mas ela existe e é nisso que eu tento focar.

Todos os socos que eu levei ao longo desses inesgotáveis 24 anos permanecem, ainda, aqui comigo. Não mais na face, como originalmente, mas em forma de marcas que já não são mais visíveis aos olhos alheios. Eu não preciso que alguém olhe em meus olhos e veja o quanto eles estão suplicantes, porém ainda peço para que esse mesmo alguém consiga entender tudo o que esses meus olhos já presenciaram conforme os anos foram passando. Seria meio que egoísmo de minha parte querer que todos vissem o mundo da maneira que eu vejo, eu sei disso. Mas eu tenho certeza de que se isso acontecesse, talvez os dias fossem mais leves e as pessoas um pouquinho melhores.

Ser bom, nos dias de hoje, custa algumas coisas, como paciência, sabedoria e compaixão. Ser bom é uma escolha, ou você é ou você não é. Uma pena que grande parte da população escolha a segunda opção, mas quanto a isso eu não posso fazer nada. Então eu permaneço aqui, dessa mesma maneira que me foi ensinada. Dia após dia eu tento dar um pouquinho do meu melhor aos outros que compartilham da minha vida vida junto comigo. Não é fácil, mas eu também nunca achei que fosse. A vida nunca foi fácil, honestamente, e eu até prefiro que continue assim, pois todas essas marcas (in)apagadas fazem parte de quem sou. E eu sei que sou muito maior e melhor do que isso.

A vida nunca me exigiu mais do que aquilo que consegui cumprir. Tem vezes que um desafio a mais me é imposto, mas encaro a situação como algo positivo e construtivo. Tudo bem não dar certo numa primeira ou segunda vez, até porque eu nunca desisti de desafios tão facilmente assim e não vai ser agora que irei desistir. Tudo o que faço é dar a cara à tapa e continuar dando o meu melhor, até aquilo (seja o que aquilo for) se concretizar. Provas disso são essas marcas internas que me foram concedidas. E que não são apenas ruins, considero cada uma dessas marcas como algo positivo também. Talvez não tenha sido naquele momento, mas tenho certeza de que pra tudo há uma resposta – mesmo que eu não a tenha encontrado ainda.

Eu não quero permanecer parado em todo local que estagnar. Entendo que um respiro é bom de vez em quando, mas se eu não continuar seguindo em frente, as marcas que resolvi esconder de mim mesmo podem voltar e ficar por aqui de modo permanente. E eu não quero isso, quero que elas permaneçam escondidas, porém visíveis ao meu íntimo e invisíveis ao olhar de quem ainda vai aumentar essa quantidade de dor e sofrimento que trago com alguma razão, eu sei, mas sem saber, ainda, o porquê.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s