Conheça a incrível história do médico que foi catador de latinha

Crédito: Breno Fortes/CB/D.A Press.

Quem olha para o doutor Cícero Pereira Batista por detrás do jaleco de médico nem imagina a história de vida desse homem. Ainda quando tinha dois anos de idade ficou órfão de pai. Uma criança negra, que além de ter de aprender a lidar com o alcoolismo de sua mãe desde muito cedo, teve que lutar contra as estatísticas. Se de um lado Cícero guerreava contra o vício do álcool de sua genitora, do outro um dos seus sete irmãos alimentava o vício de drogas ilícitas de uma das favelas do Distrito Federal.

Diante da situação precária logo cedo o jovem garoto precisou aprender a se virar. Catava latinha e restos de comida para sobreviver. Mas não foi na alimentação podre que Cícero encontrou forças para vencer na vida. A sua energia veio desde muito cedo de outro material encontrado nos lixos da cidade: livros.

Aos poucos ele foi catando a ajuda de moradores da região, aprendendo a juntar letras e sílabas, assim foi reciclando sonhos. Por volta dos dez anos pediu para sua mãe lhe matricular na escola. E foi ao som de clássicos como Bach e Mozart – vinis encontrados no lixo – que o garoto aprendeu a dançar com a vida. A música o moldou, a literatura lhe ditou o caminho, e por entre linhas tortas mas muito bem conjugadas Cícero seguiu.

Inspirado pelas histórias de grandes músicos como Beethoven, que mesmo surdo marcou a história da arte para sempre, o garoto tinha certeza de que ele poderia conseguir também. Se inscreveu para o curso profissionalizante de técnico de enfermagem, que valia como ensino médio e passou em segundo lugar. Concluiu os estudos, conseguiu um emprego na Secretaria de Saúde, mas não poderia para por aí.

Cícero sentia que precisava ir mais longe, e três anos depois prestou o vestibular para medicina em uma faculdade particular no interior de Minas Gerais e foi aprovado. Cumprindo três plantões e estudando em outra cidade o jovem passou fome de novo, chegou a dormir na rodoviária para economizar.

Devido as boas notas no Enem conseguiu uma bolsa de 100% em outra universidade de Minas Gerais, mas precisaria iniciar o curso do zero. Seis meses depois repetiu o feito, mas dessa vez a faculdade ficava no Distrito Federal, começaria tudo de novo, mas sem os custos de transporte interestadual e nem mensalidade, logo Cícero passou a comprar cada vez mais livros e vinis. Hoje ele é conhecido como doutor Cícero Pereira Batista, o homem que veio do lixo, para salvar as vidas que vivem no meio ao enxofre.

Essa história bombou no Brasil em 2014, mas exemplos como esse precisam sempre ser relembrados.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s