Liberte-se

Eu não quero fazer mais nada além de me desvencilhar das máscaras que me deram. Eu nunca quis usá-las, sempre quis ser eu mesmo, com todos os meus jeitos, trejeitos e defeitos. Quem dera se todas as pessoas conseguissem me aceitar assim como custei a tal. Não é coisa simples definir uma persona e vivenciá-la dia após dia até se tornar aquilo. Não é questão de farsa, é questão de sobrevivência. São dias difíceis, é preciso se ater aos detalhes para não ser passado para trás. E confesso que com tanto lobo em pele de cordeiro que tem por aí, não me sinto seguro em lugar algum. Até mesmo a minha casa às vezes me prega peças quando insisto em me esconder e gritar e mesufocar. Não há parede que aguente tanto desespero.

Ainda te julgam pelo o que você nunca foi. De tantas obscenidades que poderiam te dizer, disseram aquelas que te dão pavor extremo. A comparação não é justa quando feita da maneira errada. Na verdade, comparação alguma é agradável perante aos ouvidos de quem não tem voz. Antes não conseguir ouvir do que não poder falar. Eu quero falar, eu ne-ces-si-to falar. Respire fundo, tampe os ouvidos, me deixa ser quem eu sou. Não há mais luz nessa escuridão em que você me enfiou, eu quero me iluminar, tomar um banho de luz e ver se, com ela, tudo o que ficou pra trás torna a fazer parte de mim. Eu sou cheia de manias, o meu coração às vezes fala melhor do que a razão. Só, por favor, entenda de uma vez por todas que não nasci pra crescer sob a sombra de outrém. Entenda logo que o outrém sou eu que faço.

Você até pode me dizer coisas que não acato, que acho errado, mas pra tudo tem um limite. Se você ainda não percebeu, sinto em lhe dizer que estou por um fio. Eu sei, tem pouco tempo, mas não queira me ver fora da persona, ela é muito melhor que eu. E eu ainda me sinto intimidado por quem eu mesmo inventei. Não deveria, o que eu queria mesmo era dar as costas, ir embora, não ver mais nada. Quero deixar o que me fez mal, quero me livrar de todas as garras que o mundo me impôs. eu-não-quero-mais-você. Eu não quero mais te ver, putaquepariu, eu só não quero. Já diziam antigamente, afasta-te do que não te pertence. Eu só to tentando fazer o que disseram ser o certo. Por um momento acreditei que nada mais seria igual, mas aí entendi que o igual pode ser bem melhor quando queremos que ele seja.

A persona já não mais existe, ela se difundiu em meu ser, hoje eu não sou mais eu. Não quero ter que acordar em um mundo que não é o meu, eu não quero mais pertencer a quem não me pertence também. outudo; ou nada; hoje eu não quero mais. Não quero mais ter que te ver, não quero mais aguentar você, não quero mais te ouvir, te ver. Quem dera eu não precisar de você (saiadeumavez). Eu já até fiz minhas malas, deixei a porta entreaberta, por mim já tinha ido, mas tem algo que me impede. Talvez seja essa sua mania de me comparar ao que os outros foram pra você e que eu jamais seria. Perdoe-me pelo que te disse, mas perdoe-me ainda mais pelo que vou fazer.

Feche a porta ao sair.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s