Deus desistiu de nós e queimou o Museu Nacional

Dona Maria atravessou a rua, um mendigo lhe pediu “uma esmolinha por favor, para matar a fome”, e dona Maria o mandou a merda. Uma fagulha saiu de dentro de dona Maria e subiu pelos ares, sem ninguém ver.

Um policial abordou um jovem negro, muitíssimo suspeito – é claro. Deu-lhe logo um tapa na orelha e rasgou o tímpano do menino de apenas treze anos perguntando com ódio “vai onde o vagabundo!?”, o menino olhou para o PM e sussurrou baixinho que estava indo para casa, o policial bateu com o cassetete na cara do rapaz e mandou ele olhar pra baixo.

Um outro adolescente filmou com seu celular de última geração, jogou na internet comentado que o pivete tinha tomado uma porrada daquelas. Um candidato a presidente logo comentou que vagabundo tem que aprender a respeitar a polícia. O vídeo teve mais de um milhão de visualizações e junto com ele, seiscentas e setenta e duas faíscas subiram aos céus, elas saíram de dentro de todos aqueles que pensaram que o garoto deveria ter aprontado alguma.

Um apresentador de TV comentou a morte de sete jovens que estavam em uma boca de fumo. “Se estivessem estudando, nada disso teria acontecido”, afirmou o apresentador. Ele foi aplaudido por uma multidão de expectadores que o seguem onde quer que ele vá. Oito milhões de faíscas.

Um marido bateu na mulher até que ela desmaiou, pois tinha certeza que ela o estava traindo. A internet logo viralizou o vídeo perguntando se traição tem perdão. Mulheres militantes logo se manifestaram e afirmaram que essa indagação diante do fato era um absurdo. Militantes pró-família/Deus/moral/CaralhoAQuatro logo apareceram para chamar essas manifestantes de mimizentas/feminazes/putas/gordas/rabugentas/malcomidas. Incontáveis faíscas subiram aos céus.

Políticos começaram a acenar para os pensamentos radicais das massas, pois afinal, os valores estavam perdidos. E mais milhões de faíscas subiram aos céus.

Deus estava lá em cima, vendo tudo isso, e tentando sobremaneira segurar tantas faíscas por lá. Até que Ele olhou com os olhos banhados em lágrimas para os espíritos vítimas do ódio e ignorância. De um lado, Deus queria abraçar os seus filhos necessitados, mas de outro Ele estava tentando impedir que toda aquela fúria em forma de faísca recaísse sobre a Terra.

Diante de tamanha estupidez humana, Ele olhou para os simples e humildes de coração, e com um aperto esmagador no peito, com os olhos cheios de água salgada, desistiu de nós. E já que não teríamos futuro apagou nosso passado jogando todas aquelas faíscas no Museu Nacional.

E agora seguimos aqui, sem ter como olhar para trás, com a ruína se aproximando pela frente. Gritando e clamando por Deus, que finalmente tapou os ouvidos para essa nação tão cheia de Glórias e Aleluias saindo dos mesmos lábios que querem ver bandidos mortos. Dessa terra de maldições que é o Brasil.

Quem sabe um dia, Deus volta a olhar por nós. Enquanto isso não acontece, ardemos aqui, no mármore de nós mesmos.

Advertisements

Posted by

Jornalista e apresentador de TV. Criador do Regra dos Terços.

One thought on “Deus desistiu de nós e queimou o Museu Nacional

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s