Para todas as pessoas das quais me afastei

De uns tempos pra cá, minha vida mudou. Não sei bem como, mas desde que percebi isso, passei a olhar os dias com muito mais leveza. Em alguns, é claro, cometo deslizes e me vejo, também, cometendo erros onde não eram pra existir. Mas dizem que aprendemos com os erros, então continuo percorrendo esse caminho tão estranho e prazeroso.

Desde pequena, me esforcei demais em ser alguém, bem como fazer parte de algo. Acredito que consegui, mas infelizmente alguns poréns vieram junto. Tudo bem, é a vida, eu diria para mim mesma há alguns anos. Mas conforme o tempo foi passando, aprendi a usar todos os poréns possíveis de forma que eu também crescesse com aquilo. O que eu não comentei ainda é que cada um desses poréns tem nome, endereço e uma certa relevância no que sou hoje. E isso dói, porque quando menos espero, lá vem algum deles perguntando por que estou assim ou assado.

Espero ter que falar isso apenas uma vez, então lá vai: sim, eu mudei. Na verdade, como a minha vida mudou, eu acabei indo junto. E mudar é bom, certo? Quero dizer, a gente aprende a caminhar com os próprios pés, deixando meio longe aquilo (ou aqueles) que já não te faz tão bem assim. Acabei deixando pelo meio do caminho o que já não conseguia mais carregar. Foram anos de comentários, olhares, julgamentos e likes que eu nunca pedi pra ter. A vida vai muito além das redes sociais – e isso eu só fui perceber depois que caí o mais feio de todos os tombos que já tomei.

Portanto, não me levem a mal e desejem o meu bem. Eu fiz o que achei que seria melhor pra mim. Já cansei de ir de um lado pra outro sem ter a quem recorrer quando tudo dava errado, nem mesmo aqueles que se diziam sempre por ali quando eu precisasse. Então, segui sem isso, sem eles, sem ninguém que não achasse necessário. É como se tirasse de mim camadas de roupa no mais extremo calor. É libertador sentir-se livre de tudo o que te leva pra baixo ou que traz o pior que existe dentro de você. E eu… bom, eu desde sempre só quis ser alguém e ser o meu melhor; mostrar o meu melhor. Foi pra isso que fui criada e é pra isso que quero criar os meus outros futuramente.

Então, ó, pra finalizar: não fiquem tristes porque me afastei, não. Pensem que até mesmo eu, se pudesse, me afastaria de mim. Mas como não dá, sigo sendo a minha melhor companhia na minha melhor versão.

Advertisements

Posted by

Publicitária, especialista em Comunicação e Cultura e graduanda em Letras, Rafaela é criadora do blog "Amanhã Tanto Faz" e escreve não só por prazer, mas por necessidade também.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s