bebê

A chegada de Malu

Hoje está nascendo mais uma sobrinha. É um dia meio maluco, em meio a vários dias malucos que estamos vivendo nesses tempos tão estranhos. Mas eu quero que um dia ela pense sobre o dia de hoje como um dia em que houve esperança em meio ao medo, às incertezas e à angústia.

Malu vem ao mundo neste domingo – talvez segunda-feira, não sabemos ainda ao certo. E, se um dia ela estiver curiosa para saber o que acontecia neste dia específico, ela vai procurar as manchetes e se deparar com tempos muito esquisitos. Com o medo. Com a incerteza. Com a ansiedade. Com a angústia.

Mas eu não quero que Malu pense apenas nisso quando ela crescer e começar a tentar entender o mundo em que ela nasceu. Então eu quero deixar uma mensagem de esperança para Malu neste 2020 caótico e assustador. Quero deixar para Malu uma mensagem de amor.

Malu vai crescer em meio a corações que decidiram formar uma família. Uma família que não é aquela de sangue, tradicional – que ela também vai ter –, mas formada por corações que têm se apoiado mutuamente em meio a qualquer adversidade. Uma família que tem estado ali para os seus nos momentos felizes e naqueles nem tanto. Malu vai crescer com meia dúzia de padrinhos autodeclarados que vão ensinar a ela praticamente tudo o que os pais dela não vão querer que ela saiba.

Malu faz parte de uma geração que vai ter muito o que construir, e não vai ser fácil. Eu sei, eu falhei miseravelmente em construir um mundo melhor em que Malu não precisasse lutar as mesmas batalhas que eu. Que são as mesmas batalhas da minha mãe. Que são as mesmas batalhas da minha vó. Parece que a gente tem nadado sem sair do lugar, né? Ou pior, indo para trás.

Então começo pedindo perdão a Malu, que nem nasceu ainda e já tem tanto trabalho pela frente na construção de um mundo melhor e mais justo. Mas eu tenho certeza que Malu, assim como Lethícia, Laura, Lívia, Lucas e Arthur, que já nasceram, vão ser capazes de coisas extraordinárias.

Então tenha esperança. Todos vocês. A gente falhou até aqui, mas a gente não vai desistir de tentar tornar o trabalho de vocês mais fácil. E a gente conta com vocês para conseguir o que a gente talvez não consiga nessa geração. Mas sem pressão.

Mas eu disse que deixaria uma mensagem de esperança, né? Pois bem. O mundo está muito doido. Está todo mundo meio perdido. Mas ainda tem muito amor nesse mundo e a gente não pode desconsiderar a energia poderosa que o amor é capaz de criar. Enquanto Malu nascia tinha meia dúzia de padrinhos que por um minuto deixaram de prestar atenção no caos e apenas admiraram a sua chegada.

Malu vai encontrar um mundo pior do que eu encontrei quando nasci. E peço perdão desde já pelo vacilo, em nome de todos nós. Mas também vai encontrar uma geração nova capaz de muitas mudanças. Uma nova geração que cresce cada dia mais determinada.

Eu disse que queria deixar uma mensagem de esperança para Malu, mas talvez seja uma mensagem de esperança para a gente, que já está aqui. Malu – e Lethícia, e Laura, e Lívia, e Lucas, e Arthur, e tantas outras crianças – são a nossa esperança, na verdade. Mas, de novo, sem pressão. E seja bem-vinda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s