Ao vivo: Autocracia, Democracia e Liberdade. Para onde vai o mundo?

O Interlegis, braço do Senado Federal que auxilia na modernização e transparência, está realizando o Webinar “Autocracia, Democracia e Liberdade. Para onde vai o mundo?”.

O senador Nelsinho Trad (PSD-MS), presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, fez a abertura do evento, que está sendo mediado pela Presidente do Instituto Mundial para as Relações Internacionais IR.wi, Carolina Valente. Os debatedores são Leonardo Coutinho, jornalista, autor da obra “Hugo Chavez – O Espectro”; Bruno Garschagen, cientista político, colunista da Gazeta do Povo e da Revista Oeste; Creomar de Souza, CEO da Dharma Politics; e Victor Nepomuceno, advogado e assessor internacional no Senado Federal.

Para o diretor executivo do Interlegis, Márcio Coimbra, o momento é oportuno para a discussão sobre os riscos da autocracia e a importância do fortalecimento da democracia. “Vivemos um momento em que a liberdade está sendo cerceada em vários países do mundo. A liberdade de imprensa, a liberdade de expressão e até mesmo a liberdade de ir e vir precisam ser resguardadas e a democracia permanentemente fortalecida”, avaliou Coimbra.

O Webinar vai abordar situações vivenciadas em alguns países com forte repressão dos governos autoritários ao trabalho da imprensa e às manifestações da oposição.

Assunto de interesse mundial, esse cenário está presente em Hong Kong, onde a situação política tem chamado atenção após a promulgação da Lei de Segurança Nacional pelo governo chinês, recebida por Hong Kong como uma ameaça a autonomia da ex-colônia britânica.

Situação semelhante acontece em Belarus, país do leste europeu, que protesta contra o regime de Aleksandr Lukashenko, no poder há mais de 26 anos. Lukashenko está coibindo a organização de protestos contra o resultado das últimas eleições e resiste à pressão sofrida pela União Europeia para uma transição democrática no país.

Márcio Coimbra ressaltou a importância de um posicionamento das grandes nações diante de fatos que possam caracterizar retrocessos.

“Movimentos pró-democracia, em Hong Kong, têm ganhado força e apoio de países como os Estados Unidos, o G7 e a União Europeia, que consideram a lei de segurança nacional chinesa um ataque à liberdade de Hong Kong.

O mesmo acontece em Belarus, cujos resultados das últimas eleições não foram reconhecidos pelos países europeus”, concluiu.

Outro tema que será abordado no Webinar desta sexta-feira (11) é a reação do Brasil ao governo da Venezuela. Na última semana, o Ministério de Relações Exteriores formalizou a declaração do corpo diplomático ligado a Nicolás Maduro como “personae non grata” em solo brasileiro.

O Senado Federal trabalha, por meio do Interlegis, como um “think tank”, centro de debates e produção de discussões de temas que ressoam no Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s