“NÃO TEM COMO FRAUDAR” DIZ EX-PARTICIPANTE SOBRE O BBB

É ou não manipulado? Esta talvez seja a pergunta mais feita em tempos de Big Brother Brasil (BBB). “Não tem como fraudar. Já estamos na 21° edição. Se tivesse qualquer vestígio de que a direção influencia no jogo do jogador A, B ou C, isso já tinha vazado”, explicou Ilmar Mamão, ex-BBB. Ele explica que há conversas com a produção, mas são pautas específicas que nada têm a ver com o jogo. 

Recentemente, a cantora e participante do reality Karol Concá ganhou duas provas do programa, uma delas era de sorte para a escolha do líder. A reação da Karol ao ganhar a prova gerou inúmeras teorias, uma delas a de que o programa seja manipulado. 

“Não tem isso. Imagina que a Globo vai colocar em cheque a maior fonte de renda do primeiro semestre de cada ano. Os caras são profissionais, não é à toa que o programa tá aí há vinte anos e se superando. Eles não vão colocar em risco a credibilidade que tem com os patrocinadores e muito menos com o público, porque eles têm preferência por jogador ou porque a Karol tem contrato com a GNT”, diz Ilmar Mamão. 

Ilmar Mamão foi um dos participantes da 17° temporada do reality transmitido pela rede Globo. A edição foi a primeira apresentada pelo jornalista Tiago Leifert e teve como campeã a estudante gaúcha Emilly Araújo. Ilmar Mamão foi líder por três vezes e eliminado no terceiro paredão. Em 2020, candidatou-se a vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT) por Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul (MS), mas não foi eleito.

Seletiva para o BBB

O processo seletivo para participar do BBB acontece anualmente, sendo aberto a todo país. No caso do Ilmar Mamão, quem o descobriu foi um dos olheiros do programa. O advogado contou aos jornalistas Kelli Kadanus e Erick Mota que tudo começou durante a inauguração do restaurante em que ele é sócio e chefe de cozinha. 

Ilmar acha que o estilo performático de atender os clientes do restaurante, chamou a atenção da produção que estava fazendo a seleção em Mato Grosso do Sul. “O olheiro do Big Brother me viu e me convidou. De primeira, eu refutei o convite, quem me convenceu a dar meu telefone para o olheiro foi meu filho, que na época tinha 12 ou 13 anos”, relembra. 

A primeira fase da seleção foi regional e aconteceu em Campo Grande. Após alguns meses, Ilmar soube que havia sido selecionado para a segunda etapa, a seleção nacional em acontece a “cadeira elétrica”, uma espécie de sabatina. “Em uma mesa fica a direção do programa, em formato de ‘U’ e você fica no meio, com várias câmeras e muita luz e ele te sabatinando, enchendo você de pergunta. Eles sabem da sua vida inteira”, explica. 

O Ilmar também contou algumas curiosidades sobre como acontecem as festas, como os participantes lavam roupas e revelou se tem ou não câmeras dentro do banheiro. Confira a entrevista completa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: