INTENSIDADE MATA

Há quem diga que ser intenso é como estar disposto a mergulhar num mar de situações infinitas, eu penso que intensidade é ser aquilo que tu tens de tão grande dentro de si que já não cabe no peito, aí então, transborda.

Sempre foi difícil olhar o mar e molhar somente os pés, sempre foi complexo olhar a janela e não saltar voo a fora como todas as brisas livres de uma manhã de sol. Se a vida é passageira porque não podemos viajar nela enquanto durar nossos pequeninos segundos velozes, espera- se que sejamos mais contidos e cautelosos, mas espera-se também que sejamos sonhadores e aventureiros e, com isso, o tempo se vai e cada vez que olhamos as horas perdemos mais uma oportunidade de viver o que precisa ser vivido.

O mundo é uma roda gigante onde todos nós estamos hora pra cima e hora pra baixo, numa infinita dança secular de egos e planos. Olhar pra baixo enquanto estamos acima ainda é muito difícil. E a intensidade, ah a intensidade é ela que nos move seja pro lado bom ou não, seja pra cima na roda gigante ou seja pra baixo em declínio.

A intensidade mata, ela nos leva a crer em realidades que idealizamos em nós mesmos, realidades de igualdade, fraternidade, paz e harmonia, ela nos ensina a lutar pelo que acreditamos e essa mesma intensidade nos move para dar voz ao que realmente importa. Não é errado dizer que ela traz motivação, mas também nos da coragem e é essa mesma coragem que mata, que destrói e mexe com a pirâmide do mundo onde quem está embaixo está sempre à serviço de quem está em cima.

“Viver é melhor que sonhar” Já dizia Belchior na voz de Ellis Regina. Que saibamos viver intensamente e que saibamos que essa mesma vontade de estar vivo e não somente isso, mas de vivenciar mudanças não se perca. Por muito menos pessoas morreram e ainda morrem com a sede de liberdade que tanto idealizamos. Então, ser intenso é mesmo um ato de coragem, falar, gritar, ser ouvido e ser visto não é um papel que nos cabe ainda. Há mudanças que nem veremos acontecer tão breve, porém há momentos reais que podemos comemorar.

Que a vida seja sempre cheia de intensidade, mas que dela façamos o melhor possível, e que possamos abrir caminhos largos para um futuro mais igualitário e sensível às nossas diversidades.

03 ANOS SEM MARIELLE!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: