fbpx

5 previsões (?) para 2022

5 previsões (?) para 2022
Henrique Costa

Olá querido leitor/querida leitora! Mais um ano que acabou, e a esperança se renovou para um novo ciclo. Todos nós esperamos um 2022 mais tranquilo, já que 2021 nos reservou vários altos e baixos, seja na vida pessoal, seja no mundo dos investimentos. Na coluna de hoje, faremos algo diferente: lançaremos 5 previsões para os próximos 12 meses no mundo dos investimentos. Prever o futuro é impossível, mas imaginar cenários pode ser algo muito produtivo para sua carteira e seu mindset investidor. Todas as minhas colunas anteriores podem ser acessadas nesse link aqui.

                A ideia para esta coluna não é fruto da minha originalidade, mas sim da newsletter diária da casa de investimentos Empiricus, que, por sua vez, se inspirou em Byron Wien, vice-presidente da Blackstone Advisory Partners. Wien publica desde 1986 suas “Surpresas para o ano”, eventos com baixa probabilidade de ocorrer, mas que podem afetar a carteira dos investidores do ano vindouro.

                Deixo abaixo alguns tópicos que julgo possível de ocorrer em 2022, e que podem afetar de maneira mais acentuada seus investimentos. Não leve as linhas abaixo como recomendação, apenas como fonte de conhecimento para pensar a sua carteira.

  1. O Bitcoin irá engatar uma grande alta, atingindo sua máxima histórica de 200 mil dólares por unidade, ainda que finalize o ano perto de 170 mil dólares. Na esteira, outras criptomoedas também atingem valorizações expressivas. Instituições financeiras de grande porte começam a permitir a negociação de criptomoedas não só como ativo, mas também como meio de câmbio perante outras moedas fiat;
  2. O índice Ibovespa terá uma volatilidade muito alta até as eleições de outubro, ainda que o piso de 100 mil pontos não seja quebrado, e a máxima de 130 mil pontos de 2021 tão pouco. Após o resultado, o Ibov engatará uma alta até os 150 mil pontos, independente do ocupante do palácio do Planalto em 2023;
  3. O Banco Central estacionará o nível da taxa Selic entre os 12 e 13%, com previsão de queda da taxa até os 10% ao final de 2022. Com isso, o Ifix sobe em cerca de 20%, terminando o ano perto dos 3200 pontos. Novas emissões dos FII’s começam a dar as caras entre o terceiro e quarto trimestre;
  4. As empresas americanas e o índice S&P 500 continuam renovando altas históricas, puxadas novamente pelos excelentes resultados das grandes empresas de tecnologia, ainda que o ritmo seja mais lento se comparado a 2021. A alta de juros do FED – o Federal Reserv, banco central norte americano – é uma das causas da alta mais comedida;
  5. O número de investidores pessoa física na B3 continua seu movimento de alta, em especial para FII’s e os novos BDR’s listados na bolsa. Renda variável, renda fixa e educação financeira se tornam até mesmo pauta discutida pelos presidenciáveis e candidatos a cargos eletivos do pleito do ano.

E aí, o que achou dessas previsões, será que se concretizarão? Quais são as previsões para a sua carteira de investimentos e o cenário macro como um todo? Conte para mim!

Até a próxima semana!

Henrique Costa

Henrique Costa é engenheiro eletricista formado pela UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Atua no setor industrial e de energias renováveis há cerca de 10 anos. Entusiasta do mundo dos investimentos, aprendeu desde cedo que poupar e investir é um dos melhores caminhos para se atingir os objetivos da vida. No Regra dos Terços é autor da coluna “Pra que investir?”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: