fbpx

A jogada que você nunca pode apostar

A jogada que você nunca pode apostar
Jogos de azar (Foto: Pixabay)
Coluna Henrique Costa

Olá querido leitor/querida leitora! Tudo bem com você e sua família? Em tempos de redes sociais e informação incessante, vários influenciadores digitais aparecem com a fórmula mágica da riqueza: invista pouco e fique milionário com o ativo XYZ; ou ainda, veja qual a próxima criptomoeda para quintuplicar seu capital em 7 dias. Lhe soa familiar? O que você acha de dar a tacada da sua vida e investir todo seu capital nessas chances imperdíveis? É sobre isso que falaremos na coluna de hoje. Todas as minhas colunas anteriores podem ser acessadas nesse link aqui.

O mundo atual é inundado de dados e notícias 24 horas por dia, 7 dias por semana. É tanta informação enviada e recebida ao ponto de gerar grandes polêmicas – como essa proferida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes. Mas como essa montanha de informação se aplica ao mundo dos investimentos e finanças pessoais? Como os iniciantes – e mesmo aqueles com mais tempo de estrada – se relacionam, e agem, frente a isso?

O excesso de dados pode ser o gatilho para a vulnerabilidade do ser humano – pessoas indecisas e vulneráveis são mais fáceis de serem manipuladas. E aí pode residir o perigo: quando não há indicação de um caminho seguro, os atalhos sempre vão parecer tentadores. Quem já não sentiu a curiosidade de saber, no fim das contas, como aquele operador de day-trade ganhou milhares de reais? Ou qual o segredo daquela ação super escondida na bolsa que só esse analista sabe apontar? Se esses ativos são tão bons – e certeza de retornos altos – por que não dar o all in?

Se você já chegou nesse ponto, aqui vai a lição do dia: simplesmente pare. Não existem, e nunca existirão, retornos garantidos, seja em qual ativo for. E, em qualquer decisão de investimento – ou decisão para a vida – nunca cogite tomar uma escolha em que uma das consequências é a ruína. O caminho do investidor é dependente de sua trajetória, ou seja, se a ruína lhe ocorrer, dificilmente conseguirá se recuperar ao momento inicial. Prudência e atitudes defensivas para com seu capital nunca são demais.

Até a próxima semana!

Henrique Costa

Henrique Costa é engenheiro eletricista formado pela UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Atua no setor industrial e de energias renováveis há cerca de 10 anos. Entusiasta do mundo dos investimentos, aprendeu desde cedo que poupar e investir é um dos melhores caminhos para se atingir os objetivos da vida. No Regra dos Terços é autor da coluna “Pra que investir?”

Deixe uma resposta

7 desafios que um governo de esquerda enfrentará na Colômbia 10 fatos sobre a varíola dos macacos Corpus Christi: uma das festas mais tradicionais do catolicismo
%d blogueiros gostam disto: