fbpx

História

Para registrar o momento tão delicado pelo qual passa o Brasil e o mundo e mostrar que de normal a desigualdade social não tem nada, surge um novo Regra. Seguiremos mostrando a notícia por um outro ângulo, mas daqui para frente nosso foco é nos Direitos Humanos.

O mundo tem passado por grandes e rápidas transformações e tem sido cada vez mais difícil se informar sobre tudo e, principalmente, separar aquilo que é importante daquilo que será esquecido em 24 horas. Por isso, a missão do Regra será trazer ao leitor as notícias que ainda vão importar no dia seguinte, na semana seguinte, ao decorrer da história.

Para a compreensão da nova linha editorial, cinco documentos são essenciais: 

A Declaração Universal de Direitos Humanos foi adotada e proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948. Ela nasce em um contexto em que o mundo está horrorizado com os efeitos da 2.ª Guerra Mundial e com o holocausto. 

A Constituição de 1988 reflete muito bem essa preocupação, também influenciada pelos horrores da Ditadura Militar vivida pelo Brasil desde 1964. Por isso, a Constituição traz uma série de direitos e garantias fundamentais como cláusulas pétreas. 

O Brasil ratificou, em 6 de julho de 1992, o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos e o Pacto Internacional sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais. Por se tratarem de tratados internacionais de direitos humanos, ambos têm força constitucional e devem ser tratados como norteadores para a elaboração da legislação brasileira. 

Já a Declaração de Estocolmo foi editada em 1972. Atualmente, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas sobre Direitos Humanos considera que, ao lado de dignidade e justiça, desenvolvimento, cultura, gênero e participação, o meio ambiente constitui um dos seis temas transversais dos direitos humanos.

O Regra dos Terços contará com quatro editorias principais, que vão nortear toda a linha editorial e a produção de conteúdo: 

  • Dignidade da pessoa humana;
  • Estado de Direito;
  • Meio Ambiente;
  • Cultura e Lazer

Em seu Artigo 1.º, a Declaração Universal dos Direitos Humanos estabelece que:

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade”.

Esta previsão foi incorporada pelo Artigo 1.º da Constituição Federal: 

“Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:

I – a soberania;

II – a cidadania;

III – a dignidade da pessoa humana;

IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa

V – o pluralismo político.”

Sendo assim, temas como o combate à qualquer tipo de discriminação; à miséria e à desigualdade; direitos socias; direito à vida e liberdade serão alguns dos exemplos do que o leitor encontrará na editoria de Dignidade da Pessoa Humana. 

Já na editoria de Estado de Direito serão tratados temas como Eleições, sufrágio universal, voto secreto; liberdade de expressão; separação dos poderes; e regime prisional. 

A editoria de Meio Ambiente trará conteúdos sobre o direito a um meio ambiente ecologicamente equilibrado; e direitos de minorias étnicas, em especial de povos indígenas e quilombolas. 

Por fim, a editoria de Cultura e Lazer trará conteúdos relacionados à literatura; turismo; arte e outros temas. 

A cobertura jornalística do site é feita pelo compromisso com a informação e por acreditar que o jornalismo tem papel fundamental na mudança da sociedade. Por não cobrar assinaturas para acesso ou republicação das notícias, o Regra precisa da sua ajuda para manter esse trabalho. Colabore através do Apoia.se clicando aqui.


Equipe

Kelli Kadanus

Jornalista formada pela UniOpet, com pós-graduação em Direito Constitucional e Democracia e graduanda em Direito pela Universidade Estácio.

Atua na cobertura política desde 2012 e na cobertura do Poder Judiciário desde 2014, com passagens por veículos impressos, online e rádio. Trabalhou na cobertura de temas como impeachment, cassação do ex‐deputado federal Eduardo Cunha, julgamento da chapa Dilma‐Temer no TSE, eleições de 2014, 2016, 2018 e 2020, entre outros. No Regra dos Terços, é responsável pela coordenação de conteúdo e colunista.

Erick Mota

Fundador do Regra dos Terços, o jornalista é formado pelo UniOpet. Trabalhou na Gazeta do Povo, TV Band, RICTV – afiliada da Record no Paraná -, TV Evangelizar e Congresso em Foco. Foi freelancer no Correio Braziliense e passou pelo Instituto Socioambiental.

Em sua carreira atuou em todas as áreas do jornalismo. Foi produtor, pauteiro, editor de vídeo, editor de texto, repórter, diretor, apresentador e editor-chefe. No Regra dos Terços é responsável pela coordenação dos trabalhos.

Jenifer Borges


Bacharel em comunicação social, com especialização em publicidade e propaganda pela faculdade Anhanguera de Brasília. Ativista dos direitos dos jovens, mulheres, e LGBTQIA+ pela Juventude Revolução DF, ja atuou na área de comunicação como produtora e editora de vídeos institucionais, atualmente Graduanda em História pela faculdade FAEL, musicista e escritora nas horas vagas. No Regra dos Terços, é Publicitária

Wanessa Alves


Estudante do 6° semestre de jornalismo na Universidade de Brasília (UnB). Já foi editora chefe de aplicativo no jornal laboratório Campus Multiplataforma, estagiou na editoria Eu, Estudante do jornal Correio Braziliense e fez parte da equipe de diagramação da edição n° 24 da revista Campus Repórter, da Faculdade de Comunicação (FAC/UnB). Atualmente faz estágio no Regra dos Terços.

Henrique Costa


Engenheiro eletricista formado pela UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Atua no setor industrial e de energias renováveis há cerca de 10 anos. Entusiasta do mundo dos investimentos, aprendeu desde cedo que poupar e investir é um dos melhores caminhos para se atingir os objetivos da vida. No Regra dos Terços é autor da coluna “Pra que investir?”

Eline Carrano


Jornalista formada pela UniOpet, teóloga em formação e cronista. Atua na área de assessoria de imprensa há 10 anos, trabalha com a produção e edição de conteúdo web. Atualmente escreve também para a página Sonhos do Avesso. No Regra dos Terços é cronista, assessora de imprensa, social media e jornalista.

Dabliu (Walcir Júnior)

Economista, Doutor em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná (PPGDE-UFPR/CAPES 6, 2017), Mestre em Desenvolvimento Econômico (PPGDE-UFPR, 2013) e Graduação em Ciências Econômicas (FARESC – Curitiba, 2011 – Prêmio Destaque Acadêmico por desempenho como melhor aluno).

Atualmente é professor na Fundação de Estudos Sociais do Paraná (FESP) e na Business School da Universidade Positivo (UP). É também avaliador dos cursos de graduação pelo INEP. Como compositor possui três álbuns lançados “Sobre os Ombros de Gigantes” (2012), “Ilha Desconhecida” (2015) e “Ares” (2020). No Regra dos Terços é colunista e analista de dados.

Jorge Guerra

Advogado (OAB/SC 56.404), se formou pela Esucri. Atuou pela Defensoria Pública da União (DPU).

Atualmente é membro da comissão de direitos humanos da OAB. No Regra dos Terços é colunista e responsável pelo jurídico da empresa.

Gabriel França

Estudante de Publicidade

Designer e editor de vídeo.

Quer fazer parte desse time? Encaminhe um e-mail nos contando um pouco sobre você, junto com uma crônica ou resenha para regradostercos@gmail.com e boa sorte!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: