fbpx

Anestesista é preso em flagrante após estuprar grávida durante parto

Anestesista é preso em flagrante após estuprar grávida durante parto
Foto: Reprodução

O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, de 32 anos, foi preso em flagrante após estuprar uma grávida durante uma cesariana. O caso aconteceu na madrugada desta segunda-feira (11), no Hospital da Mulher Heloneida Studart de Vilar do Teles, em São João de Meriti, município da Baixada Fluminense. 

Enfermeiras e técnicas da unidade hospitalar desconfiaram do comportamento do homem, principalmente pela quantidade de sedativo que era aplicado nas mulheres grávidas, esconderam um celular na sala de parto, fizeram a gravação e flagraram o abuso.

Nas imagens chocantes divulgadas pelo G1 é possível ver a paciente inconsciente deitada na maca. Do lado esquerdo a equipe cirúrgica prepara para começar o parto, enquanto Quintella a menos de um metro de distância dos colegas tira o pênis para fora e coloca na boca da grávida. O estupro dura cerca de 10 minutos e enquanto abusa da vítima, ele tenta se movimentar pouco para não chamar atenção. Após terminar, o médico ainda pega um lenço de papel e limpa a gestante.

10746355_640x360
Foto: Reprodução/G1

A gravação foi feita na noite deste domingo (10) e o médico já tinha participado de outras duas operações. As imagens serviram de prova para que Bezerra fosse preso em flagrante. O anestesista foi indiciado por estupro de vulnerável e vai ser chamado para prestar depoimento.

Leia também: A cada hora, mais de quatro meninas de até 13 anos são estupradas no Brasil

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) abriu um processo para expulsar o anestesista. Em nota ao G1, a Fundação Saúde do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria do Estado de Saúde repudiaram a conduta do anestesista.

“Informamos que será aberta uma sindicância interna para tomar as medidas administrativas, além de notificação ao Cremerj. A equipe do Hospital da Mulher está prestando todo apoio à vítima e à sua família”, disse o comunicado.

A defesa do médico informou que espera ter acesso na íntegra aos depoimentos para se manifestar. “A defesa alega que ainda não obteve acesso na íntegra aos depoimentos e elementos de provas que foram produzidos durante a lavratura do auto de prisão em flagrante. A defesa informa também que após ter acesso a sua integralidade, se manisfestará sobre a acusação realizada em desfavor do anestesista Giovanni Quintella”.

A polícia investiga outras possíveis vítimas do médico.

Rafaela Moreira

Jornalista, repórter do Regra dos Terços e diretora de programas de televisão na TV Band e na Rede Super.

Deixe uma resposta

5 TDAHs que você precisa conhecer A verdade por trás das pirâmides ​Como funciona a segurança dos presidenciáveis ​7 curiosidades sobre a Ilha das Cobras La Brea da vida real
%d blogueiros gostam disto: