fbpx

Apenas 9% da população mundial vive em uma democracia de alta performance; Brasil foi o país que mais perdeu atributos democráticos em 2020

Apenas 9% da população mundial vive em uma democracia de alta performance; Brasil foi o país que mais perdeu atributos democráticos em 2020
Fotos: Marcos Corrêa/PR

O Brasil foi o país que mais perdeu atributos democráticos em 2020 e a democracia no país está “em declínio”. A conclusão está em um relatório publicado pela organização International IDEA, com sede em Estocolmo. O documento, que faz uma análise global da democracia, mostra que mais países estão caminhando para regimes autoritários do que para democracias e que apenas 9% da população mundial vive em países com uma democracia de alta performance.

De acordo com o IDEA, pelo quinto ano consecutivo o número de países que está caminhando em direção ao autoritarismo é três vezes mais alto que o número de nações caminhando em direção à democracia. A organização também mostra que mais democracias do que nunca estão sofrendo com a erosão democrática, que ocorre quando a democracia perde qualidade. Em 2020, 43% das democracias do planeta haviam sofrido com a erosão democrática nos cinco anos anteriores.

Os países que estão retrocedendo democraticamente abrigam cerca de 30% da população mundial. O relatório do IDEA mostra que 70% da população do planeta vive em regimes não democráticos ou em democracias que estão retrocedendo. Apenas 9% da população mundial vive em países com uma democracia de alta performance.

“Ao contrário de regimes totalmente autoritários ou mesmo regimes híbridos, democracias retrógradas usam maiorias parlamentares, obtidas inicialmente por eleições livres e justas e altos níveis de apoio eleitoral, para gradualmente desmantelar os controles do governo, a liberdade de expressão, uma mídia livre e direitos das minorias de dentro do sistema democrático”, alerta o relatório. “Este processo de
retrocesso democrático é muitas vezes gradual, levando em média de nove anos a partir do início da apostasia até que termine em um colapso democrático”, diz o documento.

Democracia no Brasil

O Brasil aparece no relatório entre os países que mais decaíram em qualidade democrática nos últimos 10 anos, ao lado de países como Turquia, Nicarágua e Polônia. Em 2020, foi o país com o maior número de atributos de declínio da democracia.

“A gestão da pandemia foi atormentada por escândalos de corrupção e protestos, enquanto o presidente Jair Bolsonaro minimizou a pandemia e deu mensagens contraditórias”, diz o relatório. Segundo o documento, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “testou abertamente a democracia do Brasil e as instituições, acusando magistrados do Superior Tribunal Eleitoral de preparação para conduta fraudulenta
em relação às eleições de 2022 e atacando a mídia”. “O presidente também declarou que ele não vai obedecer às decisões do Supremo Tribunal Federal, que o está investigando por espalhar falsas
notícias sobre o sistema eleitoral do país”, diz o documento.

Segundo o IDEA, o retrocesso democrático que o Brasil viveu é único na região da América Latina, “tanto por sua duração quanto por seu ponto de partida”.

Desde meados da década de 1990 e principalmente na década de 2000, o Brasil apresentou evolução ascendente em quase todos os indicadores, situando-se acima da média no que se refere ao desempenho dos indicadores de eleições limpas, liberdades civis, controle governamental e participação da sociedade civil.

Em 2013, o processo de retrocesso democrático começou a ganhar forma, segundo o relatório, “fruto de uma queda constante e prolongada de quase todos os seus indicadores, que se agravou especialmente nos últimos dois anos”.

Kelli Kadanus

Kelli Kadanus, jornalista, cronista, tia coruja. Escrevo para tentar me entender e entender o mundo. É assim desde que aprendi a juntar sílabas. Sonho em mudar o mundo e as palavras são minha única arma disponível.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: