fbpx

Após traição do PSDB, João Doria desiste de ser candidato à presidência

Após traição do PSDB, João Doria desiste de ser candidato à presidência
Ex-governador desiste de concorrer para presidente em 2022 (Foto: reprodução)

O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) desistiu de concorrer ao cargo de presidente da República. A decisão foi anunciada pelo tucano durante coletiva de imprensa no final da manhã desta segunda-feira (23). Doria havia ganhado as prévias internas do PSDB para ser o candidato do partido em 2022, porém, viu a sigla se dividir e voltar atrás da decisão.

A cúpula do partido pretende anunciar apoio à candidatura da senadora do MDB do Mato Grosso do Sul Simone Tebet. A intenção é que a chamada terceira via se consolide através do nome de Simone. Tebet não perdeu tempo e já foi para as redes sociais tentar atrair o apoio de João Doria e seus aliados. “Doria nunca foi adversário. Sempre foi aliado. Sua contribuição com a luta pela vacina jamais será esquecida. Vamos conversar e receber suas sugestões para nosso programa de governo. O Brasil é maior do que qualquer projeto individual. Vamos trabalhar para unir todo o centro democrático. Gostaria muito de ter o PSDB e o Cidadania junto conosco”, disse Simone.

MDB, CIDADANIA e UNIÃO BRASIL ainda estão sem federação partidária. Há conversas de bastidores para que o grupo se unifique em nome de um só nome, conforme esteve sendo aventado até março deste ano. “Vamos aguardar a decisão das direções partidárias. Vamos continuar nossa Caminhada da Esperança. Vamos unir o país e tratar de sua reconstrução moral, institucional e política. O povo tem pressa e precisamos semear esperança”, finalizou a presidenciável Simone Tebet.

Doria afirma que sai da disputa com coração ferido

O ex-governador tentou manter a candidatura durante mais de cinco meses. Ele havia conquistado o direito de ser o candidato pelo partido após uma grande disputa interna. Durante as previas promovidas pelo PSDB, João Doria enfrentou o ex-governador Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. Doria saiu vencedor com 54% dos votos.

“Me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve. Saio com sentimento de gratidão e a certeza de que tudo o que fiz foi em benefício de um ideal coletivo, em favor dos paulistanos, dos paulistas e dos brasileiros”, afirmou Doria.

O nome do ex-governador e ex-prefeito de São Paulo passou a ser motivo de dúvida conforme as pesquisas eleitorais não demonstravam melhoras nas intenções de voto do governador, jamais chegando perto de dois dígitos.

Porém, nos bastidores, aliados de Doria classificam a postura do partido como traição. Mas, ao público, o ex-governador e os líderes da agremiação tentam manter a imagem de união. “Hoje, serenamente, entendo que não sou a escolha da cúpula do PSDB. Aceito esta realidade com a cabeça erguida. Sou um homem que respeita o bom senso, o diálogo e o equilíbrio. Sempre busquei e seguirei buscando o consenso, mesmo que ele seja contrário à minha vontade pessoal. O PSDB saberá tomar a melhor decisão no seu posicionamento para as eleições deste ano”, disse o ex-governador.

A terceira via vai se unir?

Agora a tendência é que o PSDB libere o apoio à senadora Simone Tebet ainda nesta terça-feira (24), quando haverá reunião da executiva nacional. A expectativa é que o partido forme federação com MDB e CIDADANIA em uma federação partidária, posição que voltou a ganhar corpo depois que uma pesquisa interna dos partidos demonstrou que Tebet era o nome mais viável entre o grupo.

Veja também:

Erick Mota

Jornalista com passagem em grandes veículos de comunicação, como RICTV Record e Congresso em Foco. Foi repórter de rede da Band, Bandnews TV e rádio BandNews FM, em Brasília. Fundador do Regra dos Terços, é host do Podcast Distraídos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: