fbpx

É um pássaro? É um avião? Não, é o bitcoin batendo mais uma alta histórica!

É um pássaro? É um avião? Não, é o bitcoin batendo mais uma alta histórica!
Henrique Costa quadrado

Olá querido leitor/querida leitora! Tudo bem com você e sua família? Voltando a nossa coluna rotineira, a semana foi de muita festa para os defensores dos criptoativos: o bitcoin bateu nova alta histórica, superando a antiga marca dos 65 mil dólares. É sobre isso que daremos destaque hoje. Todas as minhas colunas anteriores podem ser acessadas nesse link aqui.

Se você caiu de paraquedas aqui, ou não leu minha coluna do dia 23 de abril desse ano, deixo uma pequena explicação sobre o que é o bitcoin. Bitcoin foi o primeiro criptoativo a se popularizar e ganhar valor monetário na história recente, sendo utilizado como investimento perante outras moedas fiat, ou ainda como próprio meio de troca. Recentemente, El Salvador foi o primeiro país a adotar a criptomoeda oficialmente, sendo que outras jurisdições estudam fazer o mesmo em um futuro próximo.

Mas quais foram os motivos que levaram o bitcoin a bater novas máximas históricas? Assim como todo investimento, ou bem, cotado no mercado internacional, notícias envolvendo determinados temas podem afetar cotações no curto prazo. Para o caso que que estamos vendo hoje, rumores de que a SEC – Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, equivalente a nossa CVM – estava prestes a autorizar as negociações do primeiro ETF de bitcoin no mercado americano, fizeram volume nas negociações do ativo. Com a confirmação dos rumores, a inevitável continuação do movimento de alta foi estabilizada.

Voltando alguns meses atrás, outras notícias também afetaram positivamente o preço do bitcoin, com destaque à continua expansão monetária do dólar e outras moedas nacionais. Como consequência, os níveis inflacionários têm batido recorde não só aqui no Brasil, mas também nas economias desenvolvidas, como os países da zona do Euro, Estados Unidos, Canadá, dentre outros. Para aqueles que anseiam proteção para seu patrimônio, o bitcoin se apresenta como um porto seguro, devido às suas características deflacionárias intrínsecas.

Muitos apontam que os preços no patamar atual são apenas o começo de uma longa pernada de alta, dessa que já é apontada como futura moeda comum a nível mundial, em um cenário de juros reais negativos e perda de confiabilidade das divisas fiduciárias. A ver.

Até a próxima semana!

Henrique Costa

Henrique Costa é engenheiro eletricista formado pela UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Atua no setor industrial e de energias renováveis há cerca de 10 anos. Entusiasta do mundo dos investimentos, aprendeu desde cedo que poupar e investir é um dos melhores caminhos para se atingir os objetivos da vida. No Regra dos Terços é autor da coluna “Pra que investir?”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: