BOLSONARISTA AMARRA E ESPANCA QUILOMBOLA

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o comerciante Alberan de Freitas Epifânio foi flagrado arrastando um homem quilombola pelas ruas de Portalegre (RN). O homem é proprietário do Mercadinho Eduarda e acusa o jovem, que está amarrado nos pés e nas mãos, de ser bandido. Após pedidos de mulheres que falam para ele não matar a vítima, o homem reproduz a lógica tantas vezes repetidas por Bolsonaro: “Mato, mato ele. O que é meu eu tenho o direito de defender”, afirma.

“Não estou arrependido, não. Eu faço isso, fiz e faço quantas vezes for preciso”, diz Alberan em áudio. O caso aconteceu no último sábado (11), mas viralizou entre o final da noite de ontem e a manhã de hoje.

O portal Mossoró Hoje publicou que há uma semana o comerciante tem espalhado pela cidade que a Luciano seria bandido e drogado. O quilombola teria reagido atirando pedras no comércio de Alberan.

O agressor arrastou a vítima pelas ruas e desferiu chutes. Os dois foram levados pela Polícia Militar à Delegacia de Pau dos Ferros, e o agressor foi autuado por lesão corporal, o delegado Paulo Pereira ignorou a tortura e o fato do jovem ter sido amarrado, e autuou a vítima por depredação.

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT-RN) afirmou via redes sociais que o governo do estado não será conivente e “não compactuará com manifestações eivadas de discriminação, intolerância, ódio e abusos de quaisquer naturezas”.

A Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos (Conaq), a Ouvidoria do Governo do Rio Grande do Norte e a Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Rio Grande do Norte (Coeppir) acompanham o caso.

O presidente Jair Bolsonaro, político seguido pelo agressor, é defensor de que cada cidadão porte uma arma e proteja sua propriedade. Somado a isso, Bolsonaro já afirmou que alguns quilombolas não serve nem para procriar. Ele tem falas constantes contra comunidades quilombolas e indígenas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: