fbpx

Bolsonarista ameaça estuprar jornalista e crianças e depois matá-las

Bolsonarista ameaça estuprar jornalista e crianças e depois matá-las
Imagem meramente ilustrativa (Foto: Pixabay)

Jornalistas do site Congresso em Foco que denunciaram esquema de fake news em favor do presidente Jair Bolsonaro (PL) seguem sendo ameaçados de morte. No final da noite de domingo, a editora Vanessa Lippelt recebeu um e-mail com uma foto de uma arma em anexo. Na mensagem, o criminoso afirma que irá estuprar ela e as crianças da família. A revelação foi feita pelo próprio portal, especializado em cobertura política dos três poderes.

“Eu vou te matar, sua vagabunda. Vou enfiar meu pau nesse bumbum guloso, de um jeito ou de outro. Achei quatro falhas em criptografias militares, infinitamente dez vezes mais fortes que a do Pentágono. Eu já tenho seus dados e os dados de toda sua família. Viajarei até sua casa com a arma que estou enviando a foto em anexo, tenho 200 balas, assim fazer a festa no seu cafofo e provavelmente morrer em um belo confronto com a polícia depois de estuprar você e todas as crianças presentes”, afirmou o criminoso.

Segundo o portal, a Polícia Civil do Distrito Federal já está com o e-mail.

Em sua conta no Twitter, a jornalista respondeu às ameaças. “A canalhice da extrema-direita não tem fim. Me ameaçaram de estupro no 1500chan e vazaram meus dados pessoais. Repito: não tenho medo de incels que se escondem sob o anonimato de um fórum”, publicou.

Ainda segundo o Congresso em Foco, o autor da mensagem cita o CPF e o CEP da Vanessa. Um endereço de Curitiba foi apontado pelo próprio criminoso como sendo de sua residência. A mensagem também conta com um nome completo, que supostamente seria do usuário. Ele afirma ainda, que Vanessa pode acionar a polícia, que quando chegarem, ele estará a caminho da casa dela.

As ameaças começaram depois que Lucas Neiva, repórter do portal, publicou reportagem sobre o fórum anônimo 1500chan, que produz fake news favoráveis a Jair Bolsonaro, sob a promessa de pagamento em criptomoedas para os autores de conteúdos que viralizarem.

No fórum, também é possível notar que os usuários desprezam a vida humana e incentivam o assassinato de jornalistas críticos ao presidente da República.

Entidades em defesa dos jornalistas

Após os ataques, entidades representativas do jornalismo e parlamentares saíram em defesa dos funcionários do Congresso em Foco e rechaçaram as ameaças. Também foram cobradas investigações rigorosas e punições exemplares para os criminosos.

A Associação de Jornalismo Digital (Ajor) afirmou que o “jornalismo livre é pilar da democracia e deve colaborar para que essas eleições sejam limpas e democráticas”. Já a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) disse “que essas manifestações encontram respaldo nas declarações do próprio presidente da República e de outras figuras públicas, que, ao longo dos últimos anos, tentaram constranger e calar os/as jornalistas”.

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) vai solicitar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a apuração das denúncias feitas pelo portal, que mostra o oferecimento de pagamento em Bitcoin para quem propagar fake news contrária aos opositores do presidente e favoráveis a Jair Bolsonaro.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Humberto Costa (PT-PE), disse que esses “criminosos não calarão as vozes daqueles que diuturnamente trabalham para nos trazer informação e conhecimento; estes criminosos não cercearão a imprensa brasileira; estes criminosos não rasgarão a Constituição Federal”. Segundo o parlamentar, a Comissão vai apurar o caso.

Erick Mota

Jornalista com passagem em grandes veículos de comunicação, como RICTV Record e Congresso em Foco. Foi repórter de rede da Band, Bandnews TV e rádio BandNews FM, em Brasília. Fundador do Regra dos Terços, é host do Podcast Distraídos.

Deixe uma resposta

7 desafios que um governo de esquerda enfrentará na Colômbia 10 fatos sobre a varíola dos macacos Corpus Christi: uma das festas mais tradicionais do catolicismo
%d blogueiros gostam disto: