fbpx

BOLSONARISTAS PROVOCAM MOTORISTA DE CARAVANA EM DEFESA DO GOVERNO POR CAUSA DE CAMISA VERMELHA

BOLSONARISTAS PROVOCAM MOTORISTA DE CARAVANA EM DEFESA DO GOVERNO POR CAUSA DE CAMISA VERMELHA
Foto: Erick Mota

Durante a dispersão dos manifestantes bolsonaristas que participavam dos atos antidemocráticos nesta terça-feira (7), em Brasília, alguns apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) provocaram os opositores ao governo. Logo no início da confusão, a Polícia Militar (PM) agiu para impedir confronto.

Um homem que estava vestido com camiseta vermelha precisou ser retirado de viatura pela PM. Ele, porém, é motorista de ônibus, e a camiseta vermelha era da empresa, que trouxe os próprios manifestantes favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro.

Foto: Erick Mota
Foto: Erick Mota

Um grupo de três mulheres precisou ser escoltado por cinco policiais para evitar confrontos. Elas saíram sob gritos de “piranha” e “vagabunda”.

Apesar do anúncio de forte efetivo policial, na altura de encontro entre os dois grupos, perto da conhecida Torre de TV da capital federal, o que se viu foi menos de 30 policiais para impedir o confronto. Durante o ato da oposição, os próprios organizadores precisaram inverter o lado do protesto para evitar confrontos. Porém, na dispersão, a situação saiu de controle.

Atos em defesa da democracia e contra Jair Bolsonaro marcam contraponto nas manifestações desta terça-feira

Enquanto os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizaram nesta terça-feira (7) uma manifestação antidemocrática, pedindo a volta da ditadura e o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) na Esplanada dos Ministérios, manifestantes contra o governo se reuniram na Torre de TV, em Brasília, a cerca de 3 quilômetros da Praça dos Três Poderes. A organização do “Grito dos Excluídos” estima que 3 mil pessoas participaram do ato, enquanto a Polícia Militar estima o público em 400 manifestantes.

O protesto, chamado de “Grito dos Excluídos”, está em sua 27.ª edição e também ocorre em outras cidades do Brasil. Os militantes realizaram intervenções artísticas e expuseram cartazes críticos à política econômica do governo federal, a falta de política sanitária para o enfrentamento da pandemia e a favor do impeachment de Bolsonaro.

Eline Carrano

Jornalista por profissão, cronista por opção e neta coruja. Escrevo porque preciso justificar as ansiedades que o tarja-preta não dá conta.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: