fbpx

Bolsonaro tenta convencer família de tesoureiro do PT a defendê-lo

Bolsonaro tenta convencer família de tesoureiro do PT a defendê-lo
Foto: Reprodução

Jair Bolsonaro ligou nesta terça-feira (12) para os irmãos do guarda municipal e tesoureiro do PT Marcelo Arruda, que foi assassinado a tiros por um apoiador do presidente durante sua festa de aniversário que tinha como tema o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A ligação aconteceu três dias após o crime e por intermédio do deputado Otoni de Paula (MDB), vice-líder do governo da Câmara, que foi a Foz do Iguaçu depois de informado que a família de Arruda era “plural” e que os irmãos presentes no encontro virtual são bolsonaristas. 

Na conversa feita por vídeochamada, e divulgada pelo jornalista Guilherme Amado, do site Metrópoles, Bolsonaro convida parte dos familiares do tesoureiro para uma coletiva de imprensa em Brasília, para eles relatarem o que aconteceu. “A possível vinda de vocês a Brasília, se vocês concordarem, qual é a ideia? É ter uma coletiva para a imprensa que vocês falem o que aconteceu de fato. Vocês teriam a imprensa na frente de vocês para mostrar o que aconteceu. Se bem que a imprensa dificilmente vai voltar atrás do que escreveu até agora. Porque grande parte da imprensa tem esse objetivo de desgastar o meu governo”, disse Bolsonaro. 

O presidente se mostrou preocupado já que o assassinato está impactando diretamente seu governo e ainda falou aos familiares de Arruda que a esquerda tenta colocar a culpa do assassinato nele. “Vocês nunca viram eu estimulando qualquer tipo de atrito, apesar de grande parte da imprensa dizer exatamente o contrário”.

Vídeo: Redes Sociais

Luiz Arruda, irmão do guarda municipal, criticou que o caso esteja sendo explorado politicamente. “O que não aceitamos é usar o meu irmão como pauta de política. Não aceitamos isso de forma alguma. A Gleisi [Hoffmann] estava no velório. Ele era de esquerda e estão usando isso”, observou.

De acordo com informações repassadas a Folha de São Paulo o encontro virtual desagradou familiares que seriam mais próximos do guarda municipal, incluindo a viúva Pâmela Suellen Silva, ainda mais que nenhum dois irmãos estavam presentes na festa de aniversário onde o tesoureiro foi morto. 

Na ligação, os irmãos não afirmaram que vão a Brasília para a coletiva de imprensa como Bolsonaro sugeriu.  

Rafaela Moreira

Jornalista, repórter do Regra dos Terços e diretora de programas de televisão na TV Band e na Rede Super.

Deixe uma resposta

5 TDAHs que você precisa conhecer A verdade por trás das pirâmides ​Como funciona a segurança dos presidenciáveis ​7 curiosidades sobre a Ilha das Cobras La Brea da vida real
%d blogueiros gostam disto: