fbpx

CORREGEDORIA RECEBE RESPOSTA DE BOLSONARO SOBRE SUPOSTA FRAUDE NAS URNAS ELETRÔNICAS

CORREGEDORIA RECEBE RESPOSTA DE BOLSONARO SOBRE SUPOSTA FRAUDE NAS URNAS ELETRÔNICAS

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) enviou nesta terça-feira (3) uma resposta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o procedimento administrativo aberto no dia 21 de junho pelo corregedor-geral eleitoral, Luis Felipe Salomão, que solicitou provas que comprovem ocorrências de fraude no sistema eletrônico de votação. O prazo para que o presidente se manifestasse era até o dia 2 de agosto deste ano.

Bolsonaro, contrário do que prometeu algumas vezes, não apresentou elementos que fundamentam fraude ou irregularidade no modelo eleitoral brasileiro. Ele voltou a argumentar a favor do voto impresso, citando uma audiência pública organizada pela Justiça Eleitoral em 2018 em que alguns palestrantes apoiaram sua iniciativa.  “O tema, como sabido, é bastante inquietante perante a sociedade brasileira e foi inclusive objeto de audiência pública no âmbito do Tribunal Superior Eleitoral”, argumentou o chefe do Executivo.

Foto: Nelson Almeida/STF

“Reitera-se, não se está a atacar propriamente a segurança das urnas eletrônicas, mas, sim, a necessidade de se viabilizar uma efetiva auditagem”, reforçou presidente. As autoridades da Justiça Eleitoral já esclareceram que a urna eletrônica é auditável e que a apuração é mais segura se feita de forma eletrônica do que no papel.

As respostas de Bolsonaro que tiveram apoio do deputado estadual Castelo Branco (PSL-SP), serão anexadas ao inquérito administrativo aberto pelo Plenário do TSE no último dia 2. Seguindo o artigo 2 do despacho assinado pelo ministro Luis Felipe Salomão, “compreenderá ampla dilação probatória”. Assim, fica determinado que o inquérito vai colher provas com oitivas de pessoas e autoridades, juntada de documentos, realização de perícias e outras providências sejam julgadas necessárias para um esclarecimento efetivo dos fatos.

Ministro da Defesa, Braga Netto, deve esclarecer supostas ameaças que teria feito às eleições de 2022

Foi aprovada nesta terça-feira (3), pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, a convocação do ministro da Defesa, Walter Braga Netto. Braga Netto deve esclarecer aos parlamentares sobre suas supostas afirmações feitas a respeito das eleições de 2022 que, segundo suas falas, só aconteceriam com a adoção do voto impresso.

A convocação do ministro da Defesa foi sugerida pelo deputado petista, Rogério Correia (PT-MG). “A ameaça vem acompanhada de diversas manifestações no mesmo sentido do presidente da República, que acusa a existência de fraudes nas eleições por meio de urnas eletrônicas, ainda que todas as eleições até então não tenham demonstrado qualquer fragilidade, fraude ou risco de comprometimento dos resultados”, afirmou Correia.

A comissão ainda não definiu a data para ouvir o ministro, mas sua convocação o obriga a comparecer.

Eline Carrano

Jornalista por profissão, cronista por opção e neta coruja. Escrevo porque preciso justificar as ansiedades que o tarja-preta não dá conta.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: