fbpx

Carta contra “adversários da democracia” sofre 2.400 tentativas de ataques hacker

Carta contra “adversários da democracia” sofre 2.400 tentativas de ataques hacker
Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP). Foto: Divulgação

Em menos de dois dias, uma carta em defesa da democracia publicada por alunos e ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FDUSP) contabiliza 2.400 tentativas de ataques hacker. O número representa as ameaças recebidas no site que hospeda a carta até a manhã desta quinta-feira (28). Durante o mesmo período, o documento já havia atingido 250 mil assinaturas, entre políticos, empresários, intelectuais, advogados, ativistas e até mesmo ex-aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em nota divulgada pela FDUSP, a universidade afirma que as ameaças estão sob monitoramento da equipe técnica responsável. “Foram estabelecidas diversas camadas de proteção nesses portais e monitoramento constante, identificando quem está promovendo essas tentativas, que serão levadas às autoridades competentes”, destaca o comunicado.

Com o máximo de assinaturas possível, a carta será lida no Pátio das Arcadas, em 11 de agosto, na própria faculdade. Intitulada “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito”, destaca o respeito ao resultado das eleições de outubro deste ano, a segurança do uso de urnas eletrônicas no pleito e as ameaças às instituições, como o Supremo Tribunal Federal. O manifesto diz ainda que “nossa consciência cívica é muito maior do que imaginam os adversários da democracia”.

Ao comunicar sobre as tentativas constantes de ataques ocorridas à carta, a universidade afirma que “seguirá no recolhimento de novas adesões e no caminho da Defesa do Estado Democrático de Direito sempre”.

As primeiras 100 mil assinaturas foram atingidas em menos de 24 horas. Bolsonaro já se manifestou sobre o documento em duas ocasiões. Em conversa com apoiadores, nesta quinta-feira, o presidente questionou o documento. “Carta pela democracia. Qual ameaça que estou oferecendo para a democracia?”. Na última quarta-feira (27), enquanto o Progressitas (PP) realizava convenção em Brasília, Bolsonaro disse não ser necessário uma “cartinha” para dizer que “o nosso caminho na democracia é liberdade e respeito à Constituição”.

É possível assinar a carta com o preenchimento de um formulário produzido pela FDUSP. Confira o documento na íntegra.

Leia também: Como Bolsonaro perdeu aliados da base ideológica em quatro anos

Eduardo Veiga

Estudante de Jornalismo e redator freelancer. Já trabalhou em Rádio Banda B, Portal Banda B e publicou no Jornal Plural. Atualmente, é estagiário no Regra.

Deixe uma resposta

5 TDAHs que você precisa conhecer A verdade por trás das pirâmides ​Como funciona a segurança dos presidenciáveis ​7 curiosidades sobre a Ilha das Cobras La Brea da vida real
%d blogueiros gostam disto: