Ser ou não ser

Todos meus arquétipos deitam comigo na cama, me acariciam os ombros e me fazem dormir sonos perturbados, incoerentes, cheios de sudoreses e saudosismos. Alguns, mais freudianos, erotizados com ares de Dionísio. Outros mais poéticos, shakespearianos natos e ritmados. Há dias que eu caio no abismo profundo do não saber o que desejar daqui cinco anos, […]

Read More

Acordei cego e esse foi meu pior pesadelo

Ontem eu acordei e estava tudo completamente escuro. Eu sabia que isso não poderia estar acontecendo, pois mesmo no meio da madrugada a luz da noite se faz presente. Mas estava escuro, eu não via nada ao meu redor. Ouvi minha esposa levantar e dar bom dia ao meu cachorro. Esfreguei os olhos e continuava […]

Read More

Deus desistiu de nós e queimou o Museu Nacional

Dona Maria atravessou a rua, um mendigo lhe pediu “uma esmolinha por favor, para matar a fome”, e dona Maria o mandou a merda. Uma fagulha saiu de dentro de dona Maria e subiu pelos ares, sem ninguém ver.

Read More

Fresta

Quando a manhã se desponta na janela, passando por aquela fina fresta que não é coberta pela cortina, eu sinto que há você em algum espaço de mim que eu não controlo e nem sei direito onde fica. Mas te tem. Eu sinto nas primeiras respiradas da manhã os teus vestígios de comportamento expressos nos […]

Read More

Você tem medo de que?

Faz tempo que não abro essa porta que está diante de mim. Faz tanto tempo que nem sei mais como as coisas estão organizadas, se alguém já mexeu ou se continua a mesma coisa. Será que alguém leu os inúmeros rascunhos que deixei jogados sobre a escrivaninha? Será que tudo aquilo continua sendo para mim […]

Read More

Azulejos provisórios

Eu poderia ter olhado um pouco mais profundamente no espelho, respirado e ficado. Mas não. Eu saí dizendo que talvez na quinta-feira eu trouxesse um pouco de queijo ralado da padaria perto da minha casa, porque o seu acabou- é que eles ralam na hora e fica fresquinho. Mas eu sabia que não, eu não estaria […]

Read More