500 páginas da história de Planet Hemp

A banda carioca Planet Hemp comemora 25 anos de carreira. Para marcar a data, uma série de ações comemorativas são realizadas, entre elas o lançamento da biografia completa e autorizada “Planet Hemp: mantenha o respeito” (Editora Belas Letras), que relembra esta trajetória em detalhes no decorrer de quase 500 páginas. O livro é fruto de uma longa pesquisa do escritor, jornalista, gestor cultural e quadrinista Pedro de Luna, autor de outros oito livros como “Brodagens”, “coLUNAs”, “Niterói Rock Underground 1990-2010” e “Histórias do Porão” – sobre o festival Porão do Rock.

O livro sobre o Planet Hemp será lançado em Curitiba neste sábado, dia 1/12, na Mega Grow (Av. Manoel Ribas, 3946, no bairro Cascatinha). Quem comprar o convite antecipado, participará de um evento exclusivo, (Planet Hemp Day) das 16h20 às 20h, com presença do autor Pedro de Luna, que fará a palestra “Planet Hemp Antes da Fama”, sobre as origens do grupo, seguida de um bate-papo com os jornalistas Abonico Smith (Mondo Bacana) e Digão Duarte, que falarão sobre as conexões da banda com Curitiba. A discotecagem no local ficará por conta do DJ Schasko (que há 9 anos realiza o programa de rádio Smoking Time 4:20, além da festa Funk You, há 10 anos).

O convite, no valor de R$ 120,00 também dá direito a adquirir o  livro autografado pelo autor, participar de um coffe break, consumir cerveja artesanal e a ganhar descontos em produtos da loja Mega Grow, que é especializada em cultivo Indoor e Outdoor, com tudo o que é necessário para a prática, de insumos a equipamentos e acessórios. Após as 20h, o evento será aberto ao público não pagante, que poderá adquirir o livro de forma avulsa.

Primeira biografia da banda com quase 500 páginas

“Planet Hemp: mantenha o respeito”, de Pedro de Luna, é uma biografia de respeito. São 496 páginas contando toda a história do Planet Hemp, desde a origem dos seus integrantes no Rio de Janeiro até o momento atual, passando a limpo todos os 25 anos de carreira.

Fruto de muita pesquisa nunca realizada, o livro tem um mapa chamado “Localize Já” com os lugares que a banda frequentava no Rio de Janeiro dos anos 1990 e uma cronologia extensa com as datas e locais de shows e momentos marcantes, como prêmios, encontros, gravações e a prisão em Brasília em 1997.

A obra conta com depoimentos dos integrantes e ex-integrantes, além de jornalistas, músicos, empresários, amigos e produtores, como o falecido Carlos Eduardo Miranda. Ilustrado com fotos raras e inéditas, o leitor vai prender a respiração até não conseguir mais parar de ler.

Além desta biografia, o 25 anos do Planet Hemp são comemorados também com o relançamento pela Deck Disc do primeiro disco da banda, “Usuário” (Sony, 1995) no formato de fita cassete, do filme “Legalize Já” (sobre a amizade entre Marcelo D2 e Skunk antes de formarem a banda) e do projeto transmídia “Amar É Para Os Fortes” de Marcelo D2. Além disso, está no ar a campanha de crowdfunding para viabilizar a biografia do MC, produtor e baixista Speed, que foi do Planet Hemp e fez dupla com Black Alien (www.catarse.me/eusouspeed).

Serviço:

Planet Hemp Day – Lançamento da biografia “Planet Hemp: mantenha o respeito” com presença do autor Pedro de Luna
Data: 1/12 (sábado)
Horário: evento exclusivo mediante convite a partir das 16h20. Após as 20h, aberto ao público não pagante.
Convite: R$ 120 (com direito a adquirir o livro autografado, assistir à palestra, participar do bate-papo, usufruir do coffe break e cerveja artesanal e ganhar descontos em produtos da loja)

Local: Mega Grow (Av. Manoel Ribas, 3946 – Cascatinha)
Informações e venda antecipada de convites: (41) 3308-8673 e www.megagrow.com.br

Advertisements

Tuyo canta “Pra Curar” a alma

Quem conhece a trajetória dos integrantes do trio Tuyo certamente não se surpreendeu com a qualidade do novo disco, “Pra Curar”. Os integrantes do trio já tocavam juntos muito antes de assim se chamarem, ainda quando a banda Simonami tocava nos teatros e bares de Curitiba e a qualidade que emanavam já tocava a alma de quem os apreciava.

A banda tinha um público fiel, que os seguia onde quer que estivessem. Dentre os integrantes estavam a Lilian Soares, Layane Soares e Jean Machado, ambos agora compõe o Tuyo.

O trio marcou o país antes mesmo de ser oficialmente conhecido como trio, e conquistou o apreço que era regional em escala nacional, tanto pela melancolia das letras e notas entoadas com muito sentimento, quanto pelas incríveis vozes de Lilian e Layane Soares que participaram do The Voice Brasil em 2016.

Esse é o primeiro disco completo do grupo, que lançou um EP no ano passado, segundo Lio “o EP nasceu com uma promessa de continuidade. Sinto que estamos completando esse movimento, aterrando e fechando um ciclo para ter a chance de abrir outro”.

E se você se pergunta do que fala essa nova obra, a própria Lio conta que “é um disco de proteção, sobre autoconhecimento e consciência, do nosso jeito mais honesto de fazer música”. E é com esse espírito que Tuyo nos embala nos mais de 37 minutos de obra.

“Exploramos lugares diferentes, tem uma pesquisa de timbres, sensações e ambientes que queremos mostrar. O disco marca um momento, mas é uma ‘roupa’ e não algo determinante”, comenta Machado.

“Consigo enxergar nós três separados e, ao mesmo tempo, a triunidade que perpassa a gente. Estamos falando sobre coisas semelhantes, de perspectivas distintas. É um trabalho poderoso, que tem certa agressividade e atravessa, mas com muita ternura”, analisa Lay.

Com produção musical assinada por Gianlucca Azevedo (Jan) e Pedro Soares (Jack), o álbum tem referências que passam pelo folk e vão desde o lo-fi hip hop até o synth pop. Incorporando guitarra e outros elementos, o trabalho mantém a essência da Tuyo enquanto aponta para novas estéticas.

Para os próximos shows, a Tuyo propõe um repertório híbrido de transição, dialogando com o “Pra Doer” e o “Pra Curar” em apresentações conhecidas por despertar a vulnerabilidade sem perder de vista a leveza. No próximo ano, o trio também prevê a concepção de um álbum inédito, resultado da recente aprovação no edital Natura Musical. O trio representa um dos 50 projetos selecionados para integrar o programa em 2019, dentre 2.617 inscrições de todo o país, considerando artistas, bandas e coletivos. Continue reading “Tuyo canta “Pra Curar” a alma”

Músicos de rua de Curitiba se unem com vereador para melhorar leis

Os músicos de rua de Curitiba estão se unindo em busca de uma legislação mais clara sobre a atuação dos artistas em espaços públicos. Eles também buscam o cumprimento da lei atual, que já regula como deveria acontecer o trabalho e a fiscalização das atividades artísticas no meio da rua, mas segundo os músicos a lei não é cumprida e diversos abusos seriam cometidos pelos fiscais da prefeitura de Curitiba.

Dentre as normas já vigentes, o músico precisa portar consigo uma espécie de alvará que é chamado de  Cadastro Municipal de Artistas de Rua. Esse alvará na teoria, daria ao músico autorização para tocar em diversos pontos da cidade, desde que respeitada a distância mínima de alguns locais, como 100m de logradouros onde ocorrem as feiras de arte, artesanato e antiguidades devidamente criadas e 100m de hospitais, casas de saúde, pronto socorros e ambulatórios públicos ou particulares, no caso de artistas cuja atividade provoque qualquer tipo de emissão sonora.

O principal ponto que exige mudanças, segundo artistas que se uniram hoje nas Ruínas de São Francisco, é a utilização de equipamentos sonoros inferior a 50 watts. Para os músicos essa medida é imprecisa, pois um som com uma potência superior poderia ser regulado ao mesmo tempo em que um equipamento com potência de 50 whatts, pode ainda assim, ultrapassar os decibéis permitidos na Lei Municipal 10.625, de 2002, que no seu anexo estabelece o nível de 70 decibéis como sendo o máximo permitido.

Para melhorar essa regulamentação e acabar com os supostos abusos da fiscalização, os músicos de rua de Curitiba irão se reunir novamente junto com a equipe de gabinete do vereador Goura (PDT) na próxima segunda, às 16h, local à definir.

O Regra dos Terços surgiu há quase cinco anos para divulgar a arte independente de Curitiba, por tanto, colocamos à disposição os nossos meios de comunicação para divulgar e cobrar das autoridades qualquer medida autoritária contra os artistas locais e de fora que buscam em Curitiba um palco para expor sua arte. As denúncias podem ser encaminhadas para o nosso grupo do whats, para participar é só clicar no link abaixo.

grupo-no-whats-16300463966396434516.png

 

 

Boa sorte Bolsonaro

Desejo sucesso ao novo presidente do país. Que Bolsonaro faça um bom governo e coloque o país nos trilhos. Que ele de fato consiga dar o exemplo e acabar com a corrupção, como brada que fará. Que respeite a Constituição, o Legislativo e o Judiciário. Que passe a respeitar a imprensa e que ajude a garantir a liberdade de expressão da mesma. Que proteja todos os indivíduos, independente de raça, origem ou orientação sexual. Que adeque seu linguajar ao novo cargo que ocupa. Que tenha a melhor equipe econômica da história desse país.
Mas se ele faltar em qualquer um desses pontos,que a população se una e o cobre, como tem que ser. A partir de agora não existe mais eleitores do Bolsonaro e eleitores do Haddad, o que existe são brasileiros que precisam transformar-se em fiscais de um governo que subiu o tom na eleição garantindo ser muito superior no quesito moral do que todos os seus adversários, portanto temos que o cobrar no mesmo nível.
Bom Brasil para todos nós.

Vídeo que mostra João Doria em orgia seria montagem, garante candidato

Um vídeo em que João Doria, candidato ao governo de São Paulo, supostamente aparece participando de uma orgia, causou grande alvoroço na internet na tarde dessa terça-feira, apenas cinco dias antes das eleições de segundo turno.
A equipe do candidato classificou o vídeo como uma montagem e responsabilizou o candidato Marcio França. As declarações foram publicadas pelo blog de Lauro Jardim, no jornal O Globo.

O candidato foi prefeito de São Paulo eleito em 2016, e abandonou o cargo para concorrer ao governo. João Doria é conhecido por defender pautas liberais na economia e conservadoras nos costumes.

bandeira do brasil sendo destruída

Dia 07 vote na democracia

bandeira do brasil sendo destruída
A democracia brasileira fracassou

A nossa democracia está por um fio. Seja pelas chances de um poder autoritário de direita vencer as eleições, ou por um grupo que tem sérias e perigosas ambições por se manter ao poder do lado da esquerda. Com isso eu não quero dizer que viveremos um novo regime militar, ou uma revolução comuna aqui no Brasil, acredito sobretudo que o que realmente pode acontecer é o enfraquecimento das instituições democráticas. Continue reading “Dia 07 vote na democracia”

Jesus Cristo e as Eleições de 2018

jesus cristo

Esse blog destina-se desde sua criação a levar seus leitores a pensarem diferente, ver a vida de um outro ângulo. Sempre evitamos aqui, o máximo possível, misturar a fé com a razão, a religião com a política. Mas devido as grandes proporções que os discursos religiosos tem tomado na sociedade para embasar discursos de ódio, acredito que esse é o momento de te chamar para analisar.

Primeiro você tem que ter claro na sua mente que o Estado é Laico, e como tal, não pode ter suas leis embasadas em nenhum dogma religioso. Mas de outro lado, o que mais se vê nas redes sociais, são [pseudo]cristãos com um discurso completamente diferente daquilo que sempre pregaram nas próprias redes.  Continue reading “Jesus Cristo e as Eleições de 2018”

Namastê

_Se posicione na cadeira, encontre seu equilíbrio corporal. Respire devagar e expire longamente.

_Eu tenho que pagar o estacionamento da faculdade pela internet, senão vou ter que enfrentar aquela fila enorme na saída. Eu deveria rever essa questão de débito em conta, é tão prático e eu fico aí evitando essas burocracias. Será que eu consigo colocar a conta de celular no débito automático também? Vou ligar na operadora. O celular da minha avó poderia entrar também, tadinha, nunca tem tempo de ir pagar os boletos… Volte para a meditação, idiota.

Continue reading “Namastê”

Comer é vida

person-801899_1280

Eu vi que algo de errado não estava certo, quando a comida se tornou remédio de todos os males da vida e motivo para festejar qualquer conquista. E eu não estou falando de um belo prato de salada com um filézinho grelhado acompanhado de um suquinho de abacaxi com hortelã, não. É comida da boa, com níveis calóricos de respeito e altas horas da madrugada, em grande quantidade. No começo, achei que “pelo menos eu não estou usando drogas”, mas aos poucos fui vendo a força que aquilo exercia em mim. Já não era mais um caso de fome, era mais. A tão famigerada gula estava na minha vida e eu vinha negando, dizendo que era apenas um prazer pela culinária. Mas daí, a fatia do pudim aumentava quando meu chefe discutia comigo, o pedido no japonês era o triplo do comum quando os boletos atrasavam, a quantidade de bacon no x-tudo duplicava quando o coração partia. As minhas emoções faziam meu prato e o meu prato resultava nas minhas emoções. Mas, como eu disse antes: Pelo menos não eram drogas.

Então, sem pedir ajuda médica, decidi que iria controlar aquilo de alguma maneira só por precaução. Comecei diminuindo o carboidrato, fui evitando os doces e aderindo aos verdes, frutas. O básico de quem não quer morrer aos 40 por causa de um infarto. Exercícios físicos, a gente começa e recomeça todo mês, mas não deixa de tentar. Só que daí, a vida é mesmo uma caixinha de surpresas, e eu descobri que distúrbios alimentares são um ciclo sem fim. A gente costuma pensar que esse tipo de coisas se resume em comer absurdamente, o tempo todo, ou simplesmente não comer. Mas a versão mista da coisa acontece sem que você perceba e quando vê, tem mais um item na lista de insanidades. Quando eu enfiava o pé na jaca com gosto, decidia que no dia seguinte me puniria com a atitude mais idiota possível: Não comendo. Burlava as regras da casa e dizia que almoçaria mais tarde ou fora. Mentia, na cara dura, que já tinha comido, “você não viu?” O resultado era óbvio: Engordei, emagreci, virei a boa e velha sanfona. Consegui ficar até dois dias e meio na água e café, até que num determinado momento eu já não consegui continuar e comi, exageradamente, compulsivamente, como se não houvesse amanhã. Chorei enquanto mastigava.

Os artifícios para emagrecer a qualquer custo começaram a brotar diante dos meus olhos feito chuva em época de seca- era minha salvação. Cintas, shakes, cremes, remédios, tratamentos. A gente pira, pira mesmo e sem dó. Vai investindo e fugindo das terapias, correndo dos bons conselhos, dos grupos de apoio. Afinal, eu não sou drogada, eu só gosto de comer. Não é um vício, é só um descontrole que eu vou dominar com o tempo. Que ilusão, doce e salgada e gordurosa ilusão. A coisa só foi aumentando e a culpa virava a voz das pessoas falando do meu sobrepeso, do quadril que estava maior, que eu deveria me cuidar melhor. Ninguém entendia, ninguém entende. Não percebem que a gente está se afogando em açúcar e gordura saturada, pra não se afogar dentro dos desesperos da alma, nas feridas do dia-a-dia e do passado. O álcool, o sexo, os narcóticos, as tarjas pretas, os flagelos, tudo isso entra na sua vida de uma maneira silenciosa e com aparência amigável- no meu caso veio em temperos e bons refogados. Comer é bom? É maravilhoso! Indico sem sombra de dúvidas. Mas o problema é quando isso se torna maior do que você. Catalizador e balança de quem você é, do que você anseia para sua vida. Comer é incrível, mas o equilíbrio é divino. Acredite.

Até que um dia, felizmente, isso chegou no consultório médico. “Qual a sua relação com a comida?”, disse o doutor me olhando sob a armação dos óculos. Eu congelei e me vi novamente tendo que assumir uma fraqueza da qual eu não fazia ideia de que era um interruptor, um clique, era mesmo um problema e falava muito sobre quem eu estava sendo comigo mesma. A vida pode não ter sido fácil comigo muitas vezes, mas a minha maior algoz era eu naquele momento. Eu estava usando a comida como uma forma de penalidade, como uma violência silenciosa e aprovada pela sociedade. Eu queria me ferir, me causar danos, mas sem sangue e pulsos cortados. É absurdo, eu sei, mas a gente pode chegar nesse ponto sem se dar conta, infelizmente. Perdemos o respeito por si, porque ouvimos quem não deveria, demos valor ao que era irrelevante, porque erramos, porque nos traumatizamos. A gente perde a linha por muita coisa e por nada, ninguém é igual, ninguém reage da mesma forma e ninguém se cura com o mesmo remédio. Assim, eu decidi que não iria me violentar mais dessa maneira e tomei uma decisão.

Comecei aos poucos, colocando horários para comer e determinando metas. Obviamente, os anti depressivos ajudaram muito e fazem sua parte, mas a maior luta é dentro de mim. Os problemas não acabaram, e a gente sabe que nunca acabarão, mas a minha reação perante eles deveria ser diferente. Nem tudo poderia ser resolvido no drive-thru às duas da madrugada para sempre. Aderi aos métodos de meditação, livros e testemunhos de pessoas me ajudaram a abrir os horizontes e perceber que isso é mais comum do que se imagina- não estamos sozinhos nessa luta. A gente vai buscando uma saída e vai se encontrado, se perdoando. A terapia é a parte mais difícil para mim, o auto conflito e avaliação parecem monstros terríveis que irão pegar o seu pé na madrugada- e tem noites que elas pegam mesmo. Mas a gente vai indo, um passo de cada vez, um desafio atrás do outro e vai construindo pontes até o outro lado dessa jornada, onde acima de qualquer coisa a gente se ama. Se aceita e principalmente se respeita. Respeita profundamente, a ponto de conseguir superar até uma pizza de quatro queijos com rúcula, porque sabe que a vida é bem mais do que isso e que melhores dias- e melhores cardápios- virão.

Halloween Pet beneficente promete matar curitibanos de fofura

Quem resiste a um cachorrinho de roupinha? Fala a verdade, não tem ogro que não se amoleça todo diante dessa enxurrada de fofura. Agora imagina um monte de cachorro fantasiados de bruxinhos, abóboras, diabinhos ou dinossaurinhos? No no sábado (28) acontece no Shopping Curitiba, a partir das 15h, o Halloween Pet com concurso de fantasias. O evento é beneficente, a entrada é gratuita e aberta ao público.

Serão premiados os primeiros colocados nas categorias Fantasia, Originalidade e Simpatia. Três jurados vão dar notas de 0 a 10 para cada participante do desfile, em cada quesito.

As inscrições são limitadas para até 30 cães e podem ser feitas no dia do evento, a partir das 15h, mediante a doação de um quilo de ração, de qualquer tipo. A dica da organização do evento é chegar com antecedência para fazer a doação, preencher a ficha de inscrição e começar a diversão. Assim que completado o número de 30 cachorros, as inscrições se encerram automaticamente, e apenas os inscritos participarão do desfile. Mas todos são bem-vindos e convidados a assistirem o concurso e a participar da festa.

As doações vão para as ONGs Ajude Focinhos e Salva Bicho, que protegem e defendem animais carentes e maltratados.

Os apoiadores HiperZoo, DocG, Cãolinarista, Jingles, Los Cachorreros e Mooshe Pet Grife vão premiar os ganhadores com brinquedos, roupas, acessórios e petiscos.

Algumas regras e informações são importantes: a participação é aberta a todos os cães de pequeno, médio e grande porte desde que não estejam classificados como Cães de Guarda: Pitbull, Pastor Alemão, American Stafforshire Terrier, Dobermann, Rottweiller, Bull Terrier e raças mestiças ou variações destas raças; será obrigatório o uso de fantasias, de coleiras e guias no dia do desfile.

O evento acontece no Piso L2, no vão central do Shopping Curitiba. O regulamento completo está disponível no www.shoppingcuritiba.com.br.

Jurados

Paula Gambetta – Micro empreendedora do segmento de hospedagem de cães, proprietária da Coralina Mundo Pet, colaboradora da página Petfriendly Curitiba. Atuante na causa animal desde 2012, organiza feiras de adoção e já encaminhou mais de 100 cães para novos lares. Tutora do Jack, Coralina e Tequila.

Dra. Elisabeth Stapenhorst – Médica veterinária formada pela UFRGS, especializada em Clínica Médica de Pequenos Animais e proprietária da Cozinha Vet. Trabalha com atendimento clínico nutricional para cães. Tutora da Belle.

Napoleon Toddy e sua tutora Jessyyca Mahylla – o bulldog francês Napoleon faz o maior sucesso nas redes sociais, e é considerado um pet influencer. Com um ano e sete meses, ele é pura simpatia e conquista os petlovers por onde passa.

Serviço:
Halloween Pet e concurso de fantasias.
Quando: dia 28 de outubro, inscrições a partir das 15h.
Inscrições: doação de 1 kg de ração de qualquer tipo. A partir das 14h do dia 28 de outubro (sábado).
Quanto: gratuito e aberto ao público.
Local: Vão central do Shopping Curitiba (piso L2);
ONGs beneficiadas: Ajude Focinhos e Salva Bicho.
Apoio/parceiro: HiperZoo, DocG, Cãolinarista, Jingles, Los Cachorreros e Mooshe Pet Grife.

Shopping Curitiba
Rua Brigadeiro Franco, 2.300.
Curitiba (PR)