fbpx

Ciro Gomes é falacioso e acusa Gregório Duvivier de racismo e preconceito contra nordestinos

Ciro Gomes é falacioso e acusa Gregório Duvivier de racismo e preconceito contra nordestinos
Ciro Gomes durante o programa Ciro Games rebatendo falas de Gregório Duvivier no GregNews (Foto: reprodução)

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) fez uma live respondendo as críticas e piadas feitas pelo humorista Gregório Duvivier no programa GregNews da última sexta-feira (13), na HBO. Gregório levantou pontos positivos e negativos da vida pública de Ciro Gomes e afirmou que votou no pedetista em 2018, mas que não repetirá nessas eleições.

Dentre os motivos apresentados estão as alianças políticas que Ciro Gomes tem feito, um dos citados foi o Cabo Daciolo. Em outro momento do programa, Gregório zombou o fato de Ciro Gomes ter alternado de ministro de governo e estudante de Havard para funcionário do Beach Park. Ciro Gomes chamou o humorista para debater os pontos, que topou de primeira, mas que, alegando motivos de agenda, não pôde comparecer na terça-feira (17), dia em que grava o GregNews.

Ciro então utilizou do seu programa no Youtube, Ciro Games, para responder as falas do Gregório. Até aí, tudo dentro do jogo limpo. O problema são as acusações que Ciro fez contra o humorista. Nesta coluna vou me ater a apenas dois pontos: a acusação de que Gregório foi racista e que o humorista foi preconceituoso contra o Nordeste brasileiro.

Vou começar pelo mais grave, a acusação de racismo. Vale lembrar que o crime de injúria racial está dentro do arcabouço dos crimes contra a honra, no parágrafo 3º do artigo 140 do Código Penal. Ele é muito diferente do crime de racismo, previsto na Lei 7716/1989 e 9459/13, este último acrescentou os termos etnia, religião e procedência nacional no mesmo crime. O primeiro caso é aplicado quando o crime é cometido através de uma ofensa direcionada a um indivíduo especifico. Já o crime de racismo é aplicado quando é cometido contra uma coletividade, como, por exemplo, quando se ataca a todos os nordestinos.

No programa, enquanto listava os aliados que Ciro Gomes tem tentado arregimentar para sua pré-campanha, Gregório falou: “Daciolo, que se uniu a campanha do Ciro dizendo que ‘o Espírito Santo começou a me incomodar para ir orar com o Ciro'”. A fala foi seguida pela risada da plateia que acompanha a gravação do programa.

Ciro Gomes respondeu dizendo: “Por favor, não zombe da fé do Cabo Daciolo, presta atenção se você fez isso. Não é pelo fato de que ele é uma pessoa que não tem o olho azul, que não é um loirinho do Leblon. Percebe? Será que você não está fazendo esse deboche porque ele é um bombeiro, sabe? Uma pessoa que veio lá da base, do corpo de bombeiros do Rio de Janeiro? Será que você está debochando do testemunho de fé, honesto, verdadeiro que ele interpreta?”.

Na sequencia, Ciro começa a subir o tom de voz e fala: “Tá aí uma coisinha que eu acho que você deveria pedir desculpas é por essa expressão arrogante, grosseira de deboche contra uma pessoa como o Cabo Daciolo. O que é, tu é muito melhor do que o Cabo Dacilo em qual dimensão? Não eu não estou falando por mim, eu aguento bem tranquilo, mas essa ofensa ao Cabo Daciolo eu acho que é claramente racista, acho que é claramente o deboche que vocês da esquerda caviar gostam de fazer contra a cristandade do nosso povo”.

Então Ciro passa a criticar a piada que Gregório Duvivier fez na sequencia com a Santíssima Trindade. Para não me alongar muito, deixo esse ponto de poder ou não fazer piada com a fé alheia para outro momento. O que quero abordar aqui é a acusação de que gregório cometeu ofensa “claramente racista” contra o Cabo Daciolo.

Ciro sabe que não se trata disso. Ele está ciente de que Daciolo é motivo de chacota por afirmar que os Illuminati, Maçons e Terceira Ordem Mundial estão dominando o mundo. Ciro sabe que a fé de Daciolo só é citada, porque ele a utilizou nos debates eleitorais, afirmando que o Brasil vai ter que louvar o Senhor Jesus Cristo, desejando, nitidamente, a implementação de um regime teocrático. Ciro jogou baixo contra Gregório, em uma tentativa muito semelhante a dos bolsonaristas, que distorcem e deturpam os adversários para fomentar o ódio aqueles que os criticam.

Em outro momento, Ciro fala sobre sua ida para trabalhar no Beach Park. No GregNews isso foi motivo de piada, pela razão mais óbvia possível: a trajetória. Ciro saiu de governador, para ministro de governo e foi estudar na principal universidade do mundo, Harvard, e quando voltou foi trabalhar em um parque aquático. Um trabalho digno? Sim. Este que vos escreve mesmo, adoraria trabalhar em um empreendimento de tamanha envergadura. Porém, não é natural que após o sucesso do Plano Real, que Ciro Gomes ajudou a implementar, e da especialização em Harvard, ele ir trabalhar em um parque aquático. Qualquer um entende que o que se espera é que vá para algum cargo de governo ou em alguma instituição financeira. O humorista fez piada com isso.

Ciro, porém, afirma que jamais trabalharia para bancos, o que também acho louvável. E que sente orgulho de ter trabalhado no Beach Park, o que é honesto e motivo de orgulho mesmo. Mas foi extremamente vil ao questionar se Gregório Duvivier fez as piadas por não saber que “no Nordeste também tem empresas bastante interessantes”. Antes disso, ele falou: “Dois anos depois de ter sido governador, fui trabalhar na iniciativa privada. Uma opção, aliás, também ironizada pelo Gregório, que achou que era um emprego modesto por ser uma empresa no Ceará. Como piada até vale, mas jamais como crítica política. Ou será que é o preconceito inconsciente contra nordestino?”.

Ciro foi covarde, pois ele sabe que o local em que o parque aquático está, em nada influenciou na piada de Duvivier. Quem escreve aqui, inclusive, é um baiano, filho de pai e mãe baianos, neto de avôs e avós baianos. Então afirmo, em sendo meu local de fala: Gregório não foi preconceituoso com o Nordeste ao fazer piada com o fato de um ex-governador, ministro e graduando de Harvard, ter ido trabalhar em um parque aquático.

O que Ciro Gomes deseja com esses ataques é fomentar o ódio contra quem o critica, é desqualificar o adversário, é desmoralizar o oponente. Mas, ao invés de atrair eleitorado, Ciro se isola cada vez mais e repele aliados que poderiam ser importantes em 2026.

Erick Mota

Jornalista com passagem em grandes veículos de comunicação, como RICTV Record e Congresso em Foco. Foi repórter de rede da Band, Bandnews TV e rádio BandNews FM, em Brasília. Fundador do Regra dos Terços, é host do Podcast Distraídos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: