fbpx

COM PEDIDOS GOLPISTAS, CAMINHONEIROS SEGUEM EM FRENTE AO CONGRESSO

COM PEDIDOS GOLPISTAS, CAMINHONEIROS SEGUEM EM FRENTE AO CONGRESSO
Foto: Erick Mota / Regra dos Terços

Dezenas de caminhoneiros seguem em frente ao Congresso Nacional pedindo a destituição de todos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O policiamento está reforçado na região, com policiais militares, cavalaria e Polícia Legislativa.

Em um dos caminhões há a frase: “exigimos a imediata destituição de todos os ministros do STF e a criminalização do comunismo”. Diversas faixas com pedidos igualmente antidemocráticos estão expostas.

Caminhoneiros em manifestação na Esplanada dos Ministérios, Brasília (DF). Foto: Erick Mota / Regra dos Terços

Os manifestantes, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), estão causando terror em Brasília. O grupo perseguiu e tentou agredir jornalistas no fim da manhã. Os trabalhadores precisaram se esconder dentro do Ministério da Saúde. Os bolsonaristas tentaram invadir o prédio, balançando as grades e batendo nos vidros, mas foram impedidos pelos seguranças.

Terrorismo é assim classificado quando há “emprego sistemático da violência para fins políticos”, que é o que o grupo tem feito.

Os seguranças do Ministério fecharam as portas para proteger os trabalhadores, enquanto os vândalos tentaram quebrar o portão e as vidraças. Durante os atos golpistas do dia 7 de setembro, dezenas de jornalistas foram perseguidos e expulsos da Esplanada dos Ministérios. A Polícia Militar do Distrito Federal, pouco fez para impedir as agressões.

Os primeiros atos de agressão registrados em Brasília foram ainda no dia 6 de setembro, quando os apoiadores de Jair Bolsonaro passaram a xingar os repórteres de TV durante as transmissões. Até o momento, a Polícia Militar (PM) não autuou nenhum dos agressores.

“Ninguém fechará essa Corte”

Nesta terça-feira (8), Bolsonaro ameaçou o STF. “Ou o chefe desse poder enquadra o seu, ou esse poder pode sofrer aquilo que nós não queremos”, disse Bolsonaro, em alusão ao presidente do Supremo, Luiz Fux, e o ministro Alexandre de Moraes. Mais tarde, em discurso na Avenida Paulista, em São Paulo, que não cumprirá mais decisões de Moraes

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, disse nesta quarta-feira (8) que a Corte não tolerará ameaças à autoridade de suas decisões, em alusão ao discurso golpista do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas manifestações antidemocráticas desta terça-feira. “Ninguém fechará essa Corte”, garantiu Fux. O presidente do STF também afirmou que a Corte “jamais aceitará ameaças à sua independência, nem intimidações ao exercício regular de suas funções”. 

Regra dos Terços

Veja a vida de outro ângulo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: