fbpx

Caso do vereador acusado de “simular sexo oral” para funcionária da limpeza vai ao Conselho de Ética

Caso do vereador acusado de “simular sexo oral” para funcionária da limpeza vai ao Conselho de Ética
Foto: Reprodução

A denúncia de assédio sexual feita por uma funcionária de limpeza contra o vereador Carlinhos da Ambulância (PTB) foi encaminhada pelo presidente da Câmara Municipal de Cambé, Região Metropolitana de Londrina, Dr Fernando Lima (União Brasil) para a Comissão de Ética.

A vítima registrou um boletim de ocorrência no mês relatando que em julho o parlamentar teria simulado a prática de sexo oral dentro da cozinha da câmara. A mulher que é funcionária terceirizada do local levou a denúncia para a Procuradoria Jurídica da Câmara.

A denúncia foi encaminhada depois de uma orientação da Procuradoria Jurídica do Legislativo. E agora a Comissão de Ética tem 60 dias para ouvir as testemunhas, avaliar os documentos e fazer o relatório sobre o caso, decidindo se dá andamento ou não ao processo de cassação do vereador. Os vereadores da comissão são: Galego (PSL) na presidência, Jota Mattos (PSD) como corregedor e Odair Paviani (PSDB) como relator. 

Se o relatório indicar alguma suspensão, será votado em plenário e a decisão será concluída caso 6 dos 10 vereadores acatem o documento, caso o número seja menor, o caso será arquivado. A comissão também pode solicitar o afastamento do parlamentar durante o processo, o que ainda não foi feito, então o denunciado segue trabalhando normalmente.

O vereador que está no primeiro mandato nega as acusações e o caso, que está sob sigilo judicial, está sendo investigado pela Polícia Civil.

Rafaela Moreira

Jornalista, repórter do Regra dos Terços e diretora de programas de televisão na TV Band e na Rede Super.

Deixe uma resposta

La Brea da vida real Macabras pedras da fome surgem na Europa 3 músicos independentes que você precisa conhecer O que você não sabe sobre povos indígenas ​9 curiosidades sobre seu gato
%d blogueiros gostam disto: