fbpx

Como usar o 5G no celular: cinco fatos que você precisa saber

Como usar o 5G no celular: cinco fatos que você precisa saber
Brasília é a primeira cidade no país a utilizar o 5G.

A quinta geração de internet móvel começa a se estabelecer no Brasil. Na última quarta-feira (6), empresas de telefonia ativaram o 5G no Distrito Federal. A capital do país é a primeira cidade brasileira a receber a liberação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para iniciar o funcionamento da tecnologia. Outras metrópoles devem passar pelo mesmo processo ainda neste mês, após fase de testes.

No entanto, apesar do tema já estar em discussão há meses, perguntas sobre o 5G, o funcionamento e as consequências práticas dessa novidade continuam sem resposta. 

O Regra conversou com profissionais da área para tirar algumas dúvidas. Confira cinco fatos que você precisa saber sobre como usar o 5G no celular:

Quais as próximas cidades que vão receber a tecnologia?

Após o estabelecimento da rede no Distrito Federal, outras quatro cidades compõem a segunda etapa de implementação do 5G: São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e João Pessoa. Essas capitais devem receber a internet móvel até o fim de julho. 

A previsão da Anatel é que todas as capitais do Brasil vão ter a nova tecnologia, no máximo, em 29 de setembro. Em seguida, o 5G deve se espalhar pelas cidades interioranas.

Qual a diferença entre 5G e 4G?

O principal fator que diferenciou geração após geração de internet móvel foi a velocidade do funcionamento de aplicativos e plataformas conectadas à internet. Com o 5G, essa diferença também vai poder ser notada – cerca de dez vezes mais rápido que o 4G. No entanto, para o técnico de serviços digitais Ronaldo Sant’ana, o salto na qualidade de processamento vai ganhar ainda mais destaque.

“A diferença mais perceptível aos usuários comuns vai ser a alta velocidade de transmissão de dados, porém, não é o mais importante, do meu ponto de vista. [A rede] vai ser mais estável e segura”, argumenta Sant’ana. 

A tendência é que a internet promovida pelo 5G “caia” menos. Essa diferença vai ficar mais evidente em funcionalidades mais pesadas, ou seja, que demandam maior capacidade de processamento. “A tecnologia da nova internet móvel permite que você tenha muitos dispositivos conectados por área. A capacidade aumenta, praticamente, 1 mil vezes, em comparação ao 4G. Essas inovações tornam ela muito mais confiável”, explica o professor e doutor em Informática e Telecomunicações da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Ricardo Nabhen.

O 5G vai ser mais caro que o 4G?

Com a proximidade cada vez maior da novidade, os usuários podem também se perguntar sobre o quanto vão sentir no bolso com o 5G. Afinal, é natural imaginar que a evolução dos recursos tecnológicos acompanha o crescimento de custos e a elevação do preço final para o consumidor. Sant’ana explica que essa ainda é uma questão em aberto. 

“Geralmente não há acesso exclusivo a um tipo de tecnologia móvel, mas isso pode mudar conforme as empresas acharem necessário”, afirma. O técnico de serviços digitais também prevê que os custos do 5G devem estar atrelados principalmente à quantidade de dados utilizados pelo usuário. Ao seguir essa lógica, o preço sofreria alterações proporcionalmente à demanda.

Todos os celulares podem usar o 5G?

Para que um aparelho smartphone consiga receber a quinta geração de internet móvel é necessário que ele tenha capacidade de suporte. Isso não significa necessariamente que modelos lançados recentemente no mercado podem utilizar o 5G. 

De acordo com Nabhen, os modelos de celular que já utilizam algum tipo de internet móvel informam quais redes podem ser utilizadas. É provável que seja possível conferir essa informação ao acessar a parte de configurações do aparelho. O professor ressalta também que, assim como já acontece, os usuários não vão precisar trocar de celular para usar internet móvel, mesmo que o 5G não seja compatível. “[Em um aparelho] é preservada a compatibilidade com as redes anteriores. Mesmo que eu tenha um aparelho 5G, dependendo do lugar da cidade eu não tenho um sinal 5G. O celular automaticamente vai pegar o 4G ou, eventualmente, até mesmo o 3G”, explica.

A Anatel possui uma lista de aparelhos homologados, ou seja, testados e aprovados para receberem o 5G. A lista inclui as principais marcas de aparelhos eletrônicos – Apple, Samsung, Motorola, Xiaomi, Asus, Realme, TCL, Infinix, Nokia, Lenovo – e é atualizada sempre que novos modelos são homologados. Também é possível saber se um celular é compatível com o 5G em lojas do setor, que recebem notificações da Anatel.

Quais as vantagens do 5G?

Como a qualidade de rede de internet móvel vai aumentar, utilizações simples do celular do dia a dia devem se tornar mais fáceis e melhores. Um exemplo disso são chamadas de vídeo: imagem mais nítida, áudio mais claro e menores as chances de falha na transmissão. No entanto, a quinta geração deve trazer possibilidades que vão além dos smartphones.

“Basicamente, a utilidade vai ser poder integrar vários sistemas na rede, facilitando implementação de carros autônomos, aparelhos de saúde com manuseio remoto e alta precisão, entre outros”, comenta Sant’ana. O interesse em tornar mais acessível recursos como Internet das Coisas (IoT) ganham força a partir do 5G.

Segundo Nabhen a nova geração de internet móvel tem condições de dar uma ótima experiência para o usuário. “Vai ser possível criar uma planta, automatizada, com robôs, pois a latência da rede permite isso. Antes, não era possível. Imagine cidades inteligentes, ambientes e locais da cidade promovendo serviços para os usuários. É uma tecnologia que permite uma conectividade massiva. Novas facilidades vão poder fazer parte do cotidiano”.

Abordar este assunto foi um pedido da Arielza, leitora do Regra e assinante da lista de transmissão do Whatspp, que já reúne mais de 300 pessoas. O Regra dos Terços explica todos os dias, de forma totalmente gratuita, os principais assuntos do momento. Inscreva-se na lista, receba notícias no seu celular e fique por dentro do que é mais importante.

Eduardo Veiga

Estudante de Jornalismo e redator freelancer. Já trabalhou em Rádio Banda B, Portal Banda B e publicou no Jornal Plural. Atualmente, é estagiário no Regra.

Deixe uma resposta

​7 curiosidades sobre Jô Soares 7 lugares não clichês para conhecer no Brasil ​Anitta e o perfume para pepeka: 5 motivos para evitar fragrâncias íntimas 3 mulheres negras que você precisa conhecer 7 curiosidades sobre Marília Mendonça
%d blogueiros gostam disto: