fbpx

CPI DA PANDEMIA RECONVOCA MOTOBOY IVANILDO, FUNCIONÁRIO DA VTCLOG

CPI DA PANDEMIA RECONVOCA MOTOBOY IVANILDO, FUNCIONÁRIO DA VTCLOG

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia aprovou, nesta terça-feira (31), os requerimentos de reconvocação do motoboy Ivanildo Gonçalves da Silva, da VTCLog, e a quebra de sigilos telefônico, fiscal, bancário e telemático da VTC Logística de 2018 até os dias atuais. Ivanildo deveria prestar depoimento à CPI nesta terça-feira, mas, depois da decisão do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), que o desobrigou a comparecer à Comissão, a oitiva foi desmarcada e o colegiado recorreu ao STF.

Assim, a Comissão convocou a diretora-presidente da VTCLog, Andreia Lima, que avisou pela manhã que não poderia comparecer por estar em agenda em São Paulo e ter sido avisada às 22h do dia anterior.

Pedro França / Agência Senado

A direção da CPI identificou que o motoboy teria sacado R$ 1,4 milhões, parte em dinheiro vivo, para a empresa a qual era funcionário. As informações foram adquiridas a partir de relatórios do Conselho de Atividades Financeiras (Coaf). O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) se manifestou sobre a quebra de sigilo e destacou que a empresa é suspeita de irregularidades em contratos com o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias. “Diante dos indícios de irregularidades e das inúmeras suspeitas de negociações ilícitas dentro da pasta ministerial, bem como do possível envolvimento do senhor Roberto Dias em inúmeros fatos relacionados à sua função, faz-se imprescindível a aprovação do presente requerimento de transferência”, afirmou.

Sem oitivas, a CPI da Pandemia fez uma sessão nesta terça-feira com pautas administrativas, votando requerimentos. Dentre os documentos, estava também o requerimento da advogada Karina Kufa, que defende o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) na Justiça Eleitoral, e também tem como cliente o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

O vice-presidente da Comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que agora tornou-se “indispensável” ouvir outros nomes ligados à VTCLog. O senador ainda disse ficar espantado que um funcionário que recebe cerca de R$ 2 mil, ter sido defendido por uma banca de advogados considerada de valor alto.

Segundo os senadores, o advogado Alan Diniz Moreira Guedes de Ornelas teria trabalhado na defesa de Fabrício Queiroz e de Adriano da Nóbrega, miliciano morto em fevereiro do ano passado.  

Por sua vez, o líder do governo, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), chamou de “politização” a possível indicação de servidores do Ministério da Saúde por corrupção passiva no relatório final da CPI. Para ele, o pedido de propina que teria sido feito pelo então diretor de Logística da pasta, Roberto Ferreira Dias, para a compra da vacina AstraZeneca, não pode ser caracterizado como crime.

Eline Carrano

Jornalista por profissão, cronista por opção e neta coruja. Escrevo porque preciso justificar as ansiedades que o tarja-preta não dá conta.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: