fbpx

DORIA CONFIRMA QUE QUER SER PRESIDENTE; HUCK DESISTE DE CANDIDATURA

DORIA CONFIRMA QUE QUER SER PRESIDENTE; HUCK DESISTE DE CANDIDATURA

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), confirmou nesta terça-feira em entrevista à Folha de S. Paulo que quer ser candidato a presidente da República em 2022. Dória vai disputar as prévias do PSDB, em novembro.

“Vamos disputar as prévias, respeitando todos os candidatos. Mas vamos trabalhar pra vencer. E somar forças com todos para fortalecer a candidatura do PSDB. E ajudar o Brasil”, disse à Folha.

Além de Doria, devem disputar a indicação do partido o senador Tasso Jereissati (CE), o governador Eduardo Leite (RS) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

Outro nome que se especulava para a campanha em 2022 era do apresentador Luciano Huck, mas ele confirmou nesta semana que vai substituir Faustão aos domingos na Rede Globo.

Fausto Silva confirmou em janeiro que deixa o “Domingão do Faustão” e a TV Globo no fim de 2021.

A confirmação de Huck enterra as pretensões de disputar a presidência da República, pelo menos por enquanto.

Huck era um nome visto com potencial de criar uma candidatura de centro, uma espécie de terceira via. Ao que tudo indica, a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Lula (PT) dará o tom da disputa em 2022.

Inúmeros políticos ainda tentam viabilizar uma candidatura de centro para construir uma via alternativa. Neste campo podem disputar a pecha de terceira via nomes como Doria, ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), entre outros.

O ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), antes um entusiasta de uma candidatura de centro, se ofereceu para colaborar com o programa de governo e nas articulações da campanha de Lula. Segundo a colunista do jornal O Globo, Malu Gaspar, os dois tiveram uma conversa fechada no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura do Rio de Janeiro, na última sexta-feira (11), da qual também participaram o prefeito, Eduardo Paes (PSD), e a presidente do PT Gleisi Hoffman.

Maia foi expulso do DEM nesta semana, depois de se desentender com membros da sigla por causa da eleição para a Câmara, no início do ano. Maia tentou emplacar Baleia Rossi (MDB-SP) como sucessor na Presidência da Casa em contraponto ao nome apoiado por Bolsonaro, Arthur Lira (PP-AL).

No fim da disputa, porém, o bloco de Baleia foi abandonado pelo próprio DEM e Lira acabou vencendo a disputa.

Kelli Kadanus

Kelli Kadanus, jornalista, cronista, tia coruja. Escrevo para tentar me entender e entender o mundo. É assim desde que aprendi a juntar sílabas. Sonho em mudar o mundo e as palavras são minha única arma disponível.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: