DAQUI DEZ ANOS, QUEM SABE?

Eu espero que você esteja bem, seja lá onde esteja. E que olhe a sua vida e tenha orgulho de ter vivido o que acreditava. E se perdoe por ter acreditado demais em coisas que te deixaram no meio do caminho. Eu te perdoei por tudo isso.

Eu espero que você faça novos amigos, conheça novas pessoas, abrace mais e mais demoradamente. Que deixe casacos no carro para viradas de tempo imprevistas, tipo o seu humor. Que tome água regularmente e faça exercícios. Espero que leia bons livros, coma bobagem vez ou outra e lembre-se de usar filtro solar. Proteja-se, eu tenho feito o mesmo com a pele e o coração.

Eu espero que haja sol para te iluminar e chuva para te fazer crescer. Espero que seus sonhos sejam frutíferos e suas frustrações sejam boas professoras. Que sua honestidade não seja vencida pelo mundo e que o mundo seja sempre honesto com você. Eu estou sendo agora.

Eu espero te encontrar numa avenida qualquer, no meio de uma semana nada a ver, sem planos. E que nesse dia nós tenhamos caminhado tanto que seja impossível nos reconhecer de primeira, mas que seja impossível não nos reconhecer.

Eu espero que nesse dia você me olhe nos olhos, mas sem chorar. E que eu te olhe nos olhos, sem doer. Que haja força para nos abraçar e admitir que a vida tinha que ser como é, e que tudo passou. Que nossos braços possam segurar o peso de ter misturado sentimentos tão profundos em corações tão joviais. Espero que não tenhamos perdido nenhuma parte realmente importante de nós. Mas que tenhamos novas partes mais fortes.

Eu espero que você esteja feliz, que eu esteja curada e que não precisemos esperar por mais nada. Que não precisemos dizer mais nada. Seja lá onde estivermos, como estivemos, que estejamos em paz. E que a vida, tão certa mesmo quando a gente acha que ela está indo para o lado errado, que ela nos permita escolher o que for melhor dali para frente. Não hoje, não agora enquanto o perfume da nossa despedida ainda mareja meus olhos. Não. Lá, naquele momento lá onde o tempo passou e a gente se tornou a melhor versão de nós. E então, só então, poderemos dizer “obrigado”. Afinal, nenhum de nós pode dizer que nossas presenças na vida um do outro foi algo que não nos marcou para sempre.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: