fbpx

Enciclopédia dos investimentos – termos do mercado financeiro – Parte 7

Enciclopédia dos investimentos – termos do mercado financeiro – Parte 7
Investimento (Foto: Pixabay)

Olá querido leitor/querida leitora! Tudo bem com você? Na coluna de hoje, vamos conhecer mais alguns termos comuns do mercado financeiro e de investimentos que podem lhe auxiliar em sua jornada. Todas as minhas colunas anteriores podem ser acessadas nesse link aqui.

Vamos aos termos de hoje:

  • Payback: expressão em inglês usada para denominar o tempo de retorno de um investimento. Em tradução literal se aproximaria a algo como “retorno do pagamento”. O payback é um indicador fundamental – seja para o pequeno investidor, seja para grandes projetos que somam milhões. Aliado a outros indicadores – como a TIR, que veremos na sequência – o payback sinaliza em quanto tempo um capital aplicado retorna às mãos do investidor; após esse período, qualquer retorno adicional significa lucro direto. Por exemplo, em um investimento fictício de R$ 1000,00, e que retorna R$ 100,00 a cada mês, o payback seria de 10 meses;  
  • TIR: acrônimo para Taxa Interna de Retorno. Em inglês pode ser encontrada pela sigla IRR (Internal Rate of Return). A TIR, de maneira simplificada, pode ser considerada como um indicador de retorno quantitativo de um determinado investimento. Quando a TIR calculada de um investimento é maior que um percentual mínimo de atratividade – TMA, ou taxa mínima de atratividade –, tal operação é considerada viável do ponto de vista do custo de oportunidade. Caso contrário, deve-se optar por outras operações mais rentáveis. Investimentos que superam por larga a margem a TMA, e que ao mesmo tempo possuem um payback baixo, são considerados atrativos;
  • P/L ou PE: relação Preço sobre o Lucro de um ativo, ou ainda do inglês Price to Earnings – PE. Outro indicador muito utilizado por investidores, principalmente aqueles afeitos a renda variável. Relaciona em quantas vezes o preço de um ativo está maior que seu lucro corrente. Via de regra, ativos que possuem a relação P/L baixa podem indicar um bom investimento, ainda que outros indicadores devam ser analisados em conjunto para se tomar uma decisão final sobre a compra ou manutenção em carteira.

Até a próxima semana!

Henrique Costa

Henrique Costa é engenheiro eletricista formado pela UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Atua no setor industrial e de energias renováveis há cerca de 10 anos. Entusiasta do mundo dos investimentos, aprendeu desde cedo que poupar e investir é um dos melhores caminhos para se atingir os objetivos da vida. No Regra dos Terços é autor da coluna “Pra que investir?”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: