fbpx

Eleições 2022: Fachin convida mais de 100 observadores internacionais

Eleições 2022: Fachin convida mais de 100 observadores internacionais
Ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Edson Fachin (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

Diante das ameaças do presidente Jair Bolsonaro (PL) de tumultuar as eleições de 2022, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Edson Fachin, anunciou, nesta terça-feira (17), que mais de 100 observadores internacionais podem acompanhar as eleições no Brasil, o que inclui observadores europeus. Fachin afirmou que o mundo estará atento ao pleito brasileiro.

“Acordamos que realizar-se-á uma rede de observações internacionais para garantir a vinda ao Brasil antes e durante as eleições – não apenas dos organismos que já mencionamos –, mas de diversas autoridades europeias e de outros continentes que tenham interesse e condições em acompanhar de perto o processo eleitoral de outubro próximo”, disse Fachin durante evento na sede da Justiça Eleitoral, em Brasília.

A fala do ministro ocorre depois que o TSE precisou cancelar um convite feito para que observadores da União Europeia acompanhassem as eleições brasileiras. O ato ocorreu após o governo ter emitido uma nota, através do Ministério de Relações Exteriores, demonstrando desagrado do governo com o convite feito pelo TSE.

Bolsonaro chegou a comentar o caso, e afirmou que a Corte quer dar “ar de legalidade” ao processo eleitoral ao convidar observadores internacionais, que, segundo ele, ficariam apenas observando. “Que observação é essa? Que legalidade? Com que segurança podem dizer que aconteceu as eleições?”, disse Bolsonaro.

Entidades repudiam falas de Bolsonaro

Na última segunda-feira (16), entidades e organizações da sociedade civil entregaram uma carta ao presidente do TSE em repúdio aos ataques do presidente Bolsonaro ao sistema eleitoral.

Dentre as organizações está a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), a Coalizão Negra por Direitos e a ColetivA Mulheres Defensoras Públicas do Brasil.

Nesta terça-feira (16), Fachin afirmou que o Brasil não consente mais com “aventuras autoritárias”. A fala aconteceu durante a abertura da palestra “Democracia e eleições na América Latina e os desafios das autoridades eleitorais”, do professor Daniel Zovatto, diretor do Instituto Internacional para Democracia e Assistência Eleitoral. “O mundo observa, com atenção, o processo eleitoral brasileiro de 2022. Somos, hoje, uma vitrine para os analistas internacionais, e cabe à sociedade brasileira garantir que levaremos aos nossos vizinhos uma mensagem de estabilidade, de paz e segurança, e de que o Brasil não mais aquiesce a aventuras autoritárias”, disse Fachin.

Erick Mota

Jornalista com passagem em grandes veículos de comunicação, como RICTV Record e Congresso em Foco. Foi repórter de rede da Band, Bandnews TV e rádio BandNews FM, em Brasília. Fundador do Regra dos Terços, é host do Podcast Distraídos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: