fbpx

MANIFESTANTES FAZEM ATO CONTRA BOLSONARO EM BRASÍLIA

MANIFESTANTES FAZEM ATO CONTRA BOLSONARO EM BRASÍLIA
Foto: Erick Mota

Enquanto os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizaram nesta terça-feira (7) uma manifestação antidemocrática, pedindo a volta da ditadura e o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) na Esplanada dos Ministérios, manifestantes contra o governo se reuniram na Torre de TV, em Brasília, a cerca de 3 quilômetros da Praça dos Três Poderes. A organização do “Grito dos Excluídos” estima que 3 mil pessoas participaram do ato, enquanto a Polícia Militar estima o público em 400 manifestantes.

O protesto, chamado de “Grito dos Excluídos”, está em sua 27.ª edição e também ocorre em outras cidades do Brasil. Os militantes realizaram intervenções artísticas e expuseram cartazes críticos à política econômica do governo federal, a falta de política sanitária para o enfrentamento da pandemia e a favor do impeachment de Bolsonaro.

Protesto Brasília
Foto: Erick Mota

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou na manifestação com pautas antidemocráticas na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Em seu discurso, o presidente ameaçou o STF. “Ou o chefe desse poder enquadra o seu, ou esse poder pode sofrer aquilo que nós não queremos”, disse Bolsonaro, em alusão ao presidente do Supremo, Luiz Fux, e o ministro Alexandre de Moraes.

“Não mais aceitaremos que qualquer autoridade, usando a força do poder, passe por cima da nossa Constituição. Não mais aceitaremos qualquer medida, qualquer ação, ou qualquer certeza que venha de fora das quatro linhas da Constituição. Nós também não podemos continuar aceitando que uma pessoa específica [em alusão a Moraes] da região dos Três Poderes continue barbarizando a nossa população. Não podemos aceitar mais prisões políticas no nosso Brasil. Ou o chefe desse poder [Luiz Fux] enquadra o seu [Moraes], ou esse poder pode sofrer aquilo que nós não queremos. Porque nós valirzamos, reconhecemos e sabemos o valor de cada poder da República”, disse Bolsonaro. “Aqui na Praça dos Três Poderes, juramos respeitar a nossa Constituição. Quem age fora dela se enquadra ou pede pra sair”, completou.

A fala de Bolsonaro é inconstitucional por atacar a harmonia e a independência dos Poderes, além de incitar a população contra um poder específico.

Em meio à manifestações antidemocráticas, autoridades dos Poderes Legislativo e Judiciário saíram em defesa da democracia neste 7 de setembro. Pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) promoveu uma cerimônia de hasteamento da bandeira no Palácio Alvorada, residência oficial. Os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do STF, Luiz Fux, não compareceram à cerimônia.

Pacheco defendeu nesta terça-feira (7) “a absoluta defesa do Estado Democrático de Direito”. “Ao tempo em que se celebra o Dia da Independência, expressão forte da liberdade nacional, não deixemos de compreender a nossa mais evidente dependência de algo que deve unir o Brasil: a absoluta defesa do Estado Democrático de Direito”, escreveu Pacheco.

Kelli Kadanus

Kelli Kadanus, jornalista, cronista, tia coruja. Escrevo para tentar me entender e entender o mundo. É assim desde que aprendi a juntar sílabas. Sonho em mudar o mundo e as palavras são minha única arma disponível.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: