fbpx

Itália oferece 2 mil euros para quem casar no país

Itália oferece 2 mil euros para quem casar no país
(Foto: Rebe Adelaida - Unsplash)

Como uma das medidas para estimular o crescimento econômico do país após a pandemia da Covid-19, a Itália implementou o projeto “Nel Lazio com amore”, com o objetivo de incentivar casais italianos e estrangeiros a se casarem ou se unirem civilmente na Itália entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2022. A proposta é reembolsar os noivos que decidirem se casar nas cidades da região de Lácio em até dois mil euros, cerca de R$ 11 mil. As inscrições para o reembolso podem ser feitas até 31 de janeiro de 2023 através do site do governo.

Entre os requisitos para a restituição, está a obrigatoriedade de contratar empresas da região para fornecerem serviços e produtos para a festa de casamento. Além disso, cada casal tem direito de solicitar reembolso de até cinco despesas, as quais incluem a compra de lembrancinhas de casamento, aluguel de carro para cerimônia, vestidos e acessórios formais para os noivos, arranjo floral, serviços de refeições e lua de mel (ambos no máximo 700 euros), serviços pessoais como penteado e maquiagem, aluguel de locais para cerimônias e banquetes, serviços de gravação de vídeo e livros fotográficos, animação, entretenimento, espetáculos, cerimonialistas, alianças de casamento e impressão de acervos. 

Implementado a partir de fevereiro de 2022, o projeto é financiado com 10 milhões de euros do Fundo Nacional de Apoio às Atividades Econômicas Afetadas Pela Emergência Epidemiológica, segundo o edital divulgado pelo governo da região.

Quais são os principais critérios para obter reembolso?

O primeiro requisito diz respeito à data da cerimônia: o casamento deve ocorrer entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2022. Portanto, o reembolso não vale para as celebrações realizadas entre 14 de dezembro de 2021 e 31 de janeiro de 2023. As contratações de serviços para a festa de casamento não podem ser feitos por meio de e-commerce (compra online), e devem ser pagos com sistemas rastreáveis, como transferência bancária ou pagamento eletrônico.

Além disso, o casal deve cumprir a legislação tributária e comprovar por meio de faturas e recibos que demonstrem o tipo de despesa e sua relevância para o casamento ou união estável. O governo também exige que o casal comprove os pagamentos das despesas por transferência bancária com valor idêntico ao solicitado, além de apresentar justificativa compatível com as atividades para as quais o reembolso é concedido.

O reembolso do governo italiano não ultrapassa dois mil euros para cada casal. Porém, se as despesas do casamento documentadas forem inferiores a essa quantia, o reembolso é igual ao valor do que foi gasto e declarado ao governo, ou seja, o valor não utilizado não é cedido como crédito ao casal.

Existe alguma vantagem para a Itália além da economia?

Além do objetivo de movimentar o comércio e o setor de serviços locais, o projeto “Nel Lazio com amore” visa remediar a queda expressiva no número de casamentos na Itália durante a pandemia. De acordo com levantamento do Instituto Nacional de Estatística (Istat) realizado em 2021, os casamentos caíram aproximadamente 20% com relação ao mesmo trimestre de 2019 apenas no primeiro trimestre de 2020. Já no segundo trimestre, o número de casamentos reduziu 80%.

Além disso, a pandemia só agravou a tendência de menos celebrações de casamentos na Itália, pois entre 2008 e 2019, houve uma queda de aproximadamente 25%. Em 2019, foram celebrados 184 mil casamentos na Itália contra os 246 mil de 2008, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística.

Letícia Fortes

Estudante de Jornalismo na PUCPR e estagiária do Regra. Escrevo para evidenciar e esclarecer assuntos que exigem nossa atenção, pois essa é minha forma de defender uma comunicação humanizada, acessível e engajada socialmente.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: