fbpx

Jornalismo é resistência, ainda mais em meio ao autoritarismo

Jornalismo é resistência, ainda mais em meio ao autoritarismo
Presidente da República, Jair Bolsonaro durante Coletiva de Imprensa. (Foto: José Dias/PR)

Neste dia 7 é comemorado o Dia Nacional da Liberdade de Imprensa. Mas a pergunta é: o jornalismo é livre no Brasil? Em um país em que o presidente da República é o principal disseminador de ataques à imprensa, gozamos de liberdade? Se em 2021 ao menos 230 profissionais de veículos de comunicação no Brasil foram alvos de agressões, ofensas, intimidações, ameaças ou atentados, segundo dados da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), podemos considerar que a imprensa tem liberdade para atuar? A resposta é não.

Enquanto houver jornalista sendo alvo de ameaças de morte por desvendar esquemas criminosos de propagação de notícias falsas favoráveis a um político, como aconteceu com o jornalista Lucas Neiva, não podemos nos considerar livres. Enquanto houver editora de portal sendo ameaçada de estupro apenas por exercer seu trabalho, a imprensa está amordaçada. Enquanto houver desaparecimento de jornalista na Amazônia, que investiga grupos criminosos de garimpo – atividade ilegal incentivada pelo chefe máximo da nação -, não estaremos usufruindo de tal liberdade.

Ora, como o jornalismo é livre se o presidente da República ameaça cassar a concessão da maior emissora do país, apenas por ela fazer seu trabalho? Que liberdade é essa, se um grupo de blogs disseminadores de fake news ganham volutuosos recursos do governo federal para seguirem cometendo crimes? Então não, não temos liberdade de imprensa no Brasil.

O que temos, e não tinha como ser diferente, é resistência. A imprensa resiste aos ataques alucinados de seguidores de políticos, que desejam, prometem e muitas vezes tentam calar os jornalistas. Nós resistimos à precarização do acesso aos dados públicos, que seguem sendo escondidos sob sigilo de 100 anos. Nos mantemos resistentes ao mostrar aquilo que os poderosos não querem que seja mostrado.

É graças ao jornalismo que a população sabe que o presidente da Câmara dos Deputados está ligado à compra de kits de robótica superfaturados para escolas que não possuem nem teto. É pela imprensa que os eleitores descobriram que prefeituras ligadas ao ministro-chefe da Casa Civil estão comprando caminhões de lixo por valores escandalosos e em quantidade muito superior a capacidade dos municípios. Somos nós, jornalistas, que desmentimos as falas das autoridades, que insistem em prometer tratamentos ineficazes para problemas graves.

Talvez seja essa a verdadeira razão de tantos ataques. O que os algozes querem é manter o silêncio dos bons quanto aos seus esquemas escusos e suas incompetências avassaladoras. O que eles desejam é que o público não acredite naqueles que os denunciam, para que possam permanecer cometendo os absurdos costumeiros.

Eles desejam que a imprensa não seja livre para que eles não sejam depostos, julgados e presos. Mas, para o arrepio dos filhotes de ditadores, nós resistimos.

Regra dos Terços

Veja a vida de outro ângulo.

Deixe uma resposta

7 desafios que um governo de esquerda enfrentará na Colômbia 10 fatos sobre a varíola dos macacos Corpus Christi: uma das festas mais tradicionais do catolicismo Imunização sem polarização Despreparo das polícias no Brasil: qual é o limite da violência na abordagem policial?
%d blogueiros gostam disto: