fbpx

Civilização Maia pode ter sido extinta por mudanças climáticas, aponta estudo

Civilização Maia pode ter sido extinta por mudanças climáticas, aponta estudo
(Foto: Vermontalm - Getty Images)

Um novo estudo constatou fortes indícios de que mudanças climáticas podem ter contribuído para a extinção da civilização Maia, na América do Sul. Publicado na revista Nature, o estudo aponta que uma seca prolongada na capital da civilização maia, Mayapan, intensificou a crise de fome e rebeliões internas que provocaram a queda da civilização.

Embora os Maias tenham sido uma das civilizações mais sofisticadas do passado, a seca prolongada intensificou conflitos internos e guerras civis, motivadas pela crise de fome e migrações das regiões que os Maias ocuparam inicialmente, ou seja, para fora da área entre o México, a Guatemala, Belize e partes de Honduras e El Salvador. “Fontes múltiplas de informações indicam que conflitos civis aumentaram significativamente e correlacionando as contendas na cidade com a seca que aconteceram entre 1400 e 1450”, afirma o texto. 

Entre os anos 250 e 800 d.C., a civilização Maia teve colheitas abundantes. As informações climáticas obtidas em formações nas cavernas mostram que durante este tempo a área ocupada por eles teve alto índice de chuva. Porém, a partir do ano de 820, a região foi assolada por 95 anos de secas periódicas, algumas durando décadas.

A análise constatou que, como a seca afetou a agricultura na região, houve não apenas o desabastecimento de alimentos, mas também falta de água. Nesse sentido, o estudo utiliza o exemplo da queda da civilização Maia como um alerta para os impactos que as atuais mudanças climáticas podem trazer para o planeta. “Nosso trabalho transdisciplinar destaca a importância de compreender as complexas relações entre sistemas sociais e naturais, especialmente avaliando o papel das mudanças climáticas exacerbando as tensões políticas internas em áreas onde a seca levou à insegurança alimentar”, dizem os pesquisadores no texto.

Assim como a maioria das grandes civilizações, os Maias dependiam diretamente da agricultura para manter a prosperidade econômica e sustentar sua população. Com a escassez na produção de alimentos, a influência política da sociedade maia diminuiu rapidamente, levando-a à desintegração social. 

Envolvendo conceitos da arqueologia, história e informações paleoclimáticas, o estudo é elaborado de maneira transdisciplinar para explorar “as relações dinâmicas entre mudança climática, conflitos civis e colapso político” em Mayapan, na Península de Iucutã, no sudeste do México, durante os séculos VIII e XIV.

Letícia Fortes

Estudante de Jornalismo na PUCPR e estagiária do Regra. Escrevo para evidenciar e esclarecer assuntos que exigem nossa atenção, pois essa é minha forma de defender uma comunicação humanizada, acessível e engajada socialmente.

Deixe uma resposta

La Brea da vida real Macabras pedras da fome surgem na Europa 3 músicos independentes que você precisa conhecer O que você não sabe sobre povos indígenas ​9 curiosidades sobre seu gato
%d blogueiros gostam disto: