fbpx

“Vai entrar pelo c* e sair pela boca”, novas revelações de assédio moral de Pedro Guimarães

“Vai entrar pelo c* e sair pela boca”, novas revelações de assédio moral de Pedro Guimarães
Ex-presidente da Caixa, Pedro Guimarães. (Foto: Alan Santos/PR)

Um dia após ser exonerado do cargo de presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães vê sua situação se agravar. Nesta quinta-feira (30) o portal Metrópoles publicou uma série de áudios de reuniões internas do banco em que mostram o ex-presidente assediando moralmente os funcionários e ameaçando quem não seguisse estritamente suas ordens. “Tem uma coisa que ele sempre fala que é assim: ‘Vai vir o Long Dong, vai entrar pelo c* e sair pela boca’. Fui até pesquisar por qual motivo ele falava tanto desse Long Dong. É um ator pornô. É muito assustador”, disse ela ao portal.

Nas gravações, Guimarães aparece irritado ao ver decisões tomadas pela vice-presidência da instituição e seguida pelos funcionários. Ele alerta que quando vier qualquer ordem que não parta diretamente do seu gabinete, é para “mandar todo mundo tomar no c*”.

Em um dos áudios, o ex-presidente afirma que um dos subordinados é “pau mole”. No contexto ele quer dizer que o homem não teria a firmeza necessária para fazer o que ele estava ordenando: demitir todos os presentes na reunião, caso o teor da conversa fosse vazado para a imprensa.

Menos dinheiro, mais ira

Um dos motivos que causou revolta em Guimarães, segundo revelado pelo portal, é que o conselho interno da instituição aprovou uma mudança nas normas e estabeleceu um limite para a remuneração por participação em conselhos da entidade. O ex-presidente então perdeu a cifra extra de cerca de R$ 130 mil. Pelo cargo de presidente da Caixa, ele recebia o salário mensal de R$ 56 mil.

Não foram poucas as vezes em que Pedro Guimarães utilizou a tribuna, muitas delas ao lado de Jair Bolsonaro (PL), para exaltar que a “mamata” e “roubalheira” havia acabado no banco. Muito próximo do mandatário e costumeiramente presente nos eventos do Palácio do Planalto, ele não escondia do círculo próximo que sonhava em ser cotada para vice-presidente na chapa de Bolsonaro.

Assédio sexual

Pedro Guimarães também está sendo acusado por funcionárias que trabalham ou trabalharam em equipes que atuam diretamente com o gabinete da presidência do banco de assédio sexual. Elas afirmam que “se sentiram abusadas por Pedro Guimarães em diferentes ocasiões, sempre durante compromissos de trabalho”, relatou o site.

Vítimas afirmaram ao Metrópoles que Guimarães costuma tratar as mulheres que atuam próximo a ele como “propriedade” e faz convites “exóticos”, como idas à saunas, banhos de piscina e até sexo.

Erick Mota

Jornalista com passagem em grandes veículos de comunicação, como RICTV Record e Congresso em Foco. Foi repórter de rede da Band, Bandnews TV e rádio BandNews FM, em Brasília. Fundador do Regra dos Terços, é host do Podcast Distraídos.

Deixe uma resposta

5 TDAHs que você precisa conhecer A verdade por trás das pirâmides ​Como funciona a segurança dos presidenciáveis ​7 curiosidades sobre a Ilha das Cobras La Brea da vida real
%d blogueiros gostam disto: