fbpx

Papa Francisco pede desculpas por abusos da Igreja contra indígenas canadenses

Papa Francisco pede desculpas por abusos da Igreja contra indígenas canadenses
(Foto: Pompi - Pixabay)

Uma das primeiras declarações do papa Francisco durante reunião com as comunidades indígenas das Primeiras Nações,  Métis e Inuit, no Canadá, foi um pedido de desculpas. O pontífice pediu perdão especificamente aos sobreviventes de abusos sexuais em internatos católicos para crianças indígenas, dizendo que “lamenta profundamente” o ocorrido. Porém, o papa ressaltou que seu pedido de desculpas não será a única providência da Igreja: haverá, nas palavras de Francisco, uma “investigação séria” sobre os abusos cometidos.

Os internatos canadenses sob tutela da Igreja Católica funcionaram desde a década de 1870, mas o último só foi fechado em 1996. Nesse período, cerca de 150 mil crianças das Primeiras Nações, Métis e Inuit, foram retiradas de suas casas e internadas nessas instituições, nas quais o governo admitiu que abusos sexuais e maus-tratos eram comuns. Estima-se que quase 6 mil crianças indígenas tenham morrido nesses internatos, que funcionaram entre 1881 e 1996.

A viagem do pontífice ao Canadá ocorreu com o objetivo de se desculpar pelo papel da Igreja em cerca de 70% dos internatos do país, os quais, financiadas pelo governo canadense, faziam parte de uma política destinada a converter crianças indígenas para a religião católica, como forma de destruir a cultura e a religiosidade locais. O papa caracterizou o sistema escolar de um “erro desastroso” e pediu perdão “pelo mal cometido por tantos cristãos” contra os povos indígenas.

A reunião com as comunidades indígenas das Primeiras Nações prezou pela representatividade. Além do primeiro-ministro Justin Trudeau, também estava presente a governadora-geral Mary Simon, primeira indígena a ocupar o cargo. Sua função é representar a rainha Elizabeth II no país, já que o Canadá, como monarquia constitucional, tem Elizabeth como chefe de Estado.

Antes de seu pronunciamento na reunião pública, o papa Francisco se reuniu com líderes na igreja local e conduziu dedicou uma oração para o Cemitério Ermineskin Cree Nation, onde há túmulos identificados e não identificados de estudantes dos internatos. Além disso, a primeira parada do pontífice foi um dos maiores internatos do Canadá, Ermineskin, o que Francisco caracterizou como “uma peregrinação de penitência”.

Letícia Fortes

Estudante de Jornalismo na PUCPR e estagiária do Regra. Escrevo para evidenciar e esclarecer assuntos que exigem nossa atenção, pois essa é minha forma de defender uma comunicação humanizada, acessível e engajada socialmente.

Deixe uma resposta

La Brea da vida real Macabras pedras da fome surgem na Europa 3 músicos independentes que você precisa conhecer O que você não sabe sobre povos indígenas ​9 curiosidades sobre seu gato
%d blogueiros gostam disto: