PARTIDOS DE OPOSIÇÃO E CENTRO FORMAM COMITÊ PRÓ-IMPEACHMENT E UNIFICAM CONVOCAÇÃO PARA ATOS FORA BOLSONARO DO DIA 2

Reunião ocorreu na Câmara, nesta terça (15) e contou com líderes das bancadas e presidentes de nove partidos: PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB, Rede, Cidadania, Solidariedade e Rede.

Nesta quarta (15), parlamentardes e presidentes dos partidos que integram a bancada da Minoria na Câmara – PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB e REDE – estiveram reunidos com dirigentes do PV, CIDADADANIA e SOLIDARIEDADE. O objetivo foi unificar ações do campo da oposição e do centro em resposta aos ataques antidemocráticos cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 7 de setembro. Juntos, os nove partidos formaram um comitê pró-impeachment e agora vão articular a adesão de membros de outras siglas de centro e centro-direita, como PSD, PSDB, MDB e DEM, além de movimentos sociais e artistas.

Foto: Reprodução

A primeira decisão do comitê foi pela convocação conjunta do grande ato Fora Bolsonaro programado para o dia 2 de outubro – de manhã por todo o Brasil e à tarde em São Paulo – com a participação de governadores e prefeitos, tendo como bandeiras a defesa da Constituição, da vida e do meio ambiente e o combate à fome, inflação e desemprego. Outra manifestação nacional já está sendo mobilizada para o dia 15 de novembro, data que celebra Proclamação da República do Brasil, assim como um ato amplo na Câmara dos Deputados, ainda sem data definida.

Para o líder da Minoria, Marcelo Freixo (PSB-RJ), a unidade em torno do ato remete ao espírito do movimento Diretas Já. “Precisamos ir para as ruas, o governo Bolsonaro é uma ameaça à democracia. É nesse sentido que vários líderes políticos, de diversos partidos, estão convocando para o ato do dia 2. O Diretas Já foi o movimento que garantiu a nossa democracia e que agora a gente precisa lutar para manter”, disse o deputado.

Além de Freixo, estiveram na reunião o líder da Oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ), os líderes dos partidos Bohn Gass (PT), Wolney Queiroz (PDT), Danilo Cabral (PSB), Talíria Petrone (PSOL), Renildo Calheiros (PCdoB) e Enrico Misasi (PV); e os presidentes dos partidos Gleisi Hoffman (PT), Carlos Lupi (PDT), Carlos Siqueira (PSB), Juliano Medeiros (PSOL), Luciana Santos (PCdoB), Wesley Diógenes (Rede), Paulinho da Força (Solidariedade), Roberto Freire (Cidadania) e José Luiz Penna (PV).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: