fbpx

PF PRENDE QUATRO PESSOAS EM OPERAÇÃO CONTRA CAÇA PREDATÓRIA EM RESERVAS AMBIENTAIS NO ESPÍRITO SANTO

PF PRENDE QUATRO PESSOAS EM OPERAÇÃO CONTRA CAÇA PREDATÓRIA EM RESERVAS AMBIENTAIS NO ESPÍRITO SANTO
Foto: Divulgação/PF

Quatro pessoas foram presas pela Polícia Federal (PF) nesta quinta-feira (1) em uma operação para combater a caça predatória que vem ocorrendo nas reservas ambientais do Governo Federal situadas em Conceição da Barra, no Espírito Santo. Durante a deflagração da operação Artemis, a PF cumpriu também dez mandados de busca e apreensão. Foram apreendidos espingardas, munição, sete pássaros e e armadilhas usadas para caça. Também foram encontrados tatus e pacas mortos e congelados.

A operação teve foco na FLONA Rio Preto (Floresta Nacional do Rio Preto) e na REBIO do Córrego Grande (Reserva Biológica do Córrego Grande), a qual se estende até o PEI ITAÚNAS (Parque Estadual de Itaúnas), área de proteção estadual.

Foto: Divulgação/PF

A operação contou com a participação de 40 policiais federais. Os quatro suspeitos foram presos em flagrante. Destes, três foram soltos sob fiança.

A investigação teve início com informações repassadas pelo Instituto Estadual do Meio Ambiente (IEMA) sobre a atuação de caçadores no local. Após investigações de campo feitas pela Polícia Federal, foram identificados 10 suspeitos da prática de caça ilegal.

Os investigados responderão pelos crimes de posse irregular de armas de fogo, bem como de caça ilegal a animais da fauna silvestre.

PF também deflagrou operação em terra indígena

Também nesta quinta-feira (1), a PF deflagrou a operação Guerra e Paz, no Rio Grande do Sul. Os policiais cumpriram 28 mandados de prisão preventiva e 49 de busca e apreensão, nos municípios de Água Santa, Tapejara, Ibiaçá, Santa Cecília do Sul, Getúlio Vargas, Erebango e Passo Fundo.

A ação visa coibir conflito indígena e investigar crimes ocorridos no ano 2021 na Reserva Indígena do Carreteiro, situada no Município de Água Santa, no Rio Grande do Sul. Segundo a PF, são investigados os crimes de homicídio, constituição de milícia privada, lesões corporais, ameaças, vias de fato, incêndio criminoso, entre outros.

Kelli Kadanus

Kelli Kadanus, jornalista, cronista, tia coruja. Escrevo para tentar me entender e entender o mundo. É assim desde que aprendi a juntar sílabas. Sonho em mudar o mundo e as palavras são minha única arma disponível.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: