fbpx

PGR vai investigar Monark e Kim Kataguiri por apologia ao nazismo

PGR vai investigar Monark e Kim Kataguiri por apologia ao nazismo
José Cruz - Agência Brasil

Nesta terça-feira (8), o procurador-geral da República Augusto Aras respondeu à uma representação do Ministério Público Federal (MPF) e instaurou um procedimento para investigar se o deputado federal Kim Kataguiri (Podemos-SP) e o apresentador do Flow Podcast Monark cometeram crime de apologia ao nazismo no último episódio do podcast, exibido nesta segunda-feira (7) e retirado do YouTube no dia seguinte.

No episódio, Monark defendeu a criação de um partido nazista no Brasil, enquanto o deputado Kataguiri queixou-se da falta de um partido fascista no país e condenou a criminalização do nazismo na Alemanha.

Segundo o PGR, “todo discurso de ódio deve ser rejeitado”, enquanto a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) ressaltou que “o direito à liberdade de expressão não é absoluto e repudiar o nazismo é uma tarefa permanente”. As declarações serão analisadas pela assessoria criminal do próprio Aras, já que o caso envolve um político com prerrogativa de foro no Supremo Tribunal Federal (STF).

Durante um programa com os deputados federais Tabata Amaral (PSB-SP) e Kim Kataguiri (DEM-SP), Monark alegou que “dentro da expressão, tem que se liberar tudo”, inclusive o “direito de ser antijudeu”. Embora Monark tenha ultrapassado os limites da liberdade de expressão no Brasil, ele recebeu uma tímida correção de Tabata Amaral e apoio de Kim Kataguiri, que condenou a criminalização do nazismo na Alemanha.

Após a polêmica, o vídeo saiu do YouTube, o Flow Podcast perdeu patrocinadores, e o próprio Monark se manifestou sobre o ocorrido na sua conta do Twitter. Apesar de caracterizar sua fala como um erro e como uma insensibilidade com a comunidade judaica, o apresentador tentou se justificar dizendo que estava bêbado, e afirmou que a criação de um partido nazista é um debate legítimo em diversos países, como os Estados Unidos.

Como consequência, Monark foi desligado do Flow Podcast nesta terça-feira (8). “O Flow Podcast surgiu de um sentimento de liberdade, pluralidade e transparência. Com isso, carregamos a responsabilidade de nos conectar com milhões de pessoas e é inevitável que grandes decisões exijam grandes responsabilidades”, anunciou o programa nas redes oficiais. “Reforçamos o nosso comprometimento com a Democracia e Direitos Humanos, portanto, o episódio 545 foi tirado do ar. Comunicamos também a decisão que, a partir deste momento, o youtuber Bruno Aiub @Monark está desligado dos Estúdios Flow”, diz ainda a nota.

Letícia Fortes

Estudante de Jornalismo na PUCPR e estagiária do Regra. Escrevo para evidenciar e esclarecer assuntos que exigem nossa atenção, pois essa é minha forma de defender uma comunicação humanizada, acessível e engajada socialmente.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: