fbpx

PM USA SPRAY DE PIMENTA PARA CONTER MANIFESTANTES PRÓ-GOVERNO; TODO O EFETIVO DO DF ESTÁ NAS RUAS

PM USA SPRAY DE PIMENTA PARA CONTER MANIFESTANTES PRÓ-GOVERNO; TODO O EFETIVO DO DF ESTÁ NAS RUAS
Foto: Marcos Corrêa/PR

A Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) usou spray de pimenta nesta terça-feira (7) para conter manifestantes pró-Bolsonaro na Esplanada dos Ministérios.

Um grupo de manifestantes tentou romper um bloqueio perto do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubando grades de proteção e causando confusão.

Durante a noite desta segunda-feira (6), os manifestantes convenceram a PM a permitir a entrada de veículos na Esplanada dos Ministérios, que estava fechada para o trânsito desde domingo (5). Depois, os manifestantes derrubaram as grades de proteção em frente ao Congresso Nacional.

Manifestantes
Foto: Marcos Corrêa/PR

A PM decidiu convocar “todo o efetivo disponível” para fazer a segurança nas ruas de Brasília nesta terça-feira. Os militares de folga também foram chamados para reforçar a segurança em Brasília.

Os manifestantes foram convocados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para participar de um ato com pautas antidemocráticas, com ameaças a ministros do STF e ao Congresso Nacional. Na semana passada, Bolsonaro chegou a dizer que os atos do feriado seriam “um ultimato” a ministros do Supremo.

A utilização de PMs em uma tentativa de Bolsonaro em criar uma ruptura institucional é vista com preocupação por governadores e especialistas em segurança pública. Um estudo divulgado nesta quinta-feira (2) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) acende um alerta sobre a radicalização das forças de segurança pública no Brasil. O estudo mostra um salto na participação de oficiais da Polícia Militar e profissionais da Polícia Civil em ambientes radicais. 

A temperatura da crise tem aumentado, assim como a apreensão entre políticos em Brasília. Dentre as ameaças feitas por apoiadores de Bolsonaro e que circulam nos bastidores da política está a de uma possível invasão de manifestantes ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal (STF). Embora, nos bastidores, seja dado como certo que as Forças Armadas não embarcariam em uma aventura golpista, a situação das polícias militares não é tão cristalina. 

O presidente deve discursar no ato em Brasília e, em seguida, em São Paulo. Bolsonaro sobrevoa em um helicóptero camuflado os atos, acompanhado do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e de ministros militares, como General Augusto Heleno (GSI) e Tarcísio Mota (Infraestrutura), além parlamentares da base do governo.

Nesta segunda-feira (6), ex-presidentes, ministros e parlamentares de 26 países demonstram preocupação com manifestações bolsonaristas de 7 de setembro. Mais de 150 autoridades assinam o documento capitaneado pela rede global Progressive International.

“Nós, representantes eleitos e líderes de todo o mundo, soamos o alarme: Em 7 de setembro de 2021, uma possível insurreição colocará em perigo a democracia no Brasil”, diz trecho da carta.

Kelli Kadanus

Kelli Kadanus, jornalista, cronista, tia coruja. Escrevo para tentar me entender e entender o mundo. É assim desde que aprendi a juntar sílabas. Sonho em mudar o mundo e as palavras são minha única arma disponível.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: