fbpx

Podcast revela impactos do TDAH com experiências pessoais: “me sinto decepcionando as pessoas o tempo todo”

Podcast revela impactos do TDAH com experiências pessoais: “me sinto decepcionando as pessoas o tempo todo”
(Foto: Pixabay)

“É um alívio ter uma resposta, saber que nunca foi só preguiça ou falta de motivação”, conta Joana, nome fictício de uma jovem com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), sobre o momento em que descobriu ter a condição. Quem possui algum tipo de transtorno neurológico, como o TDAH, costuma se deparar com situações e dificuldades que não aparecem na vida de neurotípicos – pessoas que não têm nenhum transtorno psíquico. Compartilhar relatos que mostram o que acontece no dia a dia de TDAHs é o objetivo da influenciadora digital Alpin Montenegro (@blackautie) e do jornalista Erick Mota (@erickmotaporai) no Podcast Distraídos, projeto original do Regra dos Terços. Ouça abaixo.

Projeto já está no episódio #15

Alpin tem autismo e ambos os hosts foram diagnosticados com TDAH. Com uma mescla de humor e seriedade, o podcast busca informar sobre a condição e desmistificar preconceitos sobre as pessoas que possuem o transtorno neurológico em questão – cerca de 5% da população mundial, com possibilidades do número chegar a 10%, conforme especialistas que contradizem as estatísticas oficiais devido a uma possível subnotificação de casos.

Erick conta que conhecer pessoas neurodivergentes e as experiências de vida delas ajuda a melhorar a autoestima de quem tem alguma neurodivergência. “A gente se sente menos perdido no mundo”. Foi assim que ele conheceu Alpin, que já desenvolvia trabalhos na internet relacionados à divulgação de informação sobre transtornos neurológicos.

O podcast também discute os desafios para conseguir diagnósticos médicos que atestem o TDAH e implementar políticas públicas voltadas ao tema. O amplo acesso ao tratamento do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade só deve alcançar os brasileiros em 2025, segundo estimativa do Ministério da Saúde, ano em que o país deve incorporar a nova Classificação Internacional de Doenças (CID-11) da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A partir das vivências de Alpin e Erick, o projeto ainda traz relatos de internautas que também possuem algum tipo de transtorno neurológico, como a Joana, mencionada no início. Somado ao podcast, o Distraídos reúne ouvintes e leitores para debater os assuntos em um grupo no Telegram chamado Hiperfocados, com especialistas e outros neurodivergentes. O grupo é uma oportunidade para contribuir financeiramente com o projeto, que é uma iniciativa independente, por meio do apoia.se/podcastdistraidos.

Todos os episódios do Distraídos estão disponíveis no Spotify e demais agregadores de podcast, como o Anchor.

Eduardo Veiga

Estudante de Jornalismo e redator freelancer. Já trabalhou em Rádio Banda B, Portal Banda B e publicou no Jornal Plural. Atualmente, é estagiário no Regra.

Deixe uma resposta

La Brea da vida real Macabras pedras da fome surgem na Europa 3 músicos independentes que você precisa conhecer O que você não sabe sobre povos indígenas ​9 curiosidades sobre seu gato
%d blogueiros gostam disto: