fbpx

Policiais acolhem cachorrinha de rua, que agora veste farda

Policiais acolhem cachorrinha de rua, que agora veste farda
(Foto: Divulgação - PM)

Há cinco meses, uma cadelinha de rua foi resgatada e adotada por policiais militares da 22° Companhia Independente (CIPM) de Itapuranga, em Goiás. Batizada de Maria Divina, a cachorra tornou-se mascote da corporação desde a metade deste ano, quando recebeu uma farda e um dia de beleza completo, em 29 de julho.

Maria Divina foi resgatada das ruas raquítica, desnutrida e anêmica. Inicialmente, ela apareceu nas proximidades da Companhia, permanecendo nos arredores do local até que os policiais decidiram adotá-la, em março deste ano. Atualmente, a cadelinha acompanha os policiais durante os trabalhos administrativos da unidade militar, sempre bem alimentada e tosada. Conforme informou a corporação, Maria é dócil e, de hora em hora, recebe carinho dos policiais e das pessoas que a encontram na 22º Companhia Independente da PM. 

Além de tornar-se querida por toda corporação, Maria foi condecorada como mascote a partir de uma ideia coletiva, conforme explicou o cabo Vinícius França, de 35 anos, ao portal G1. “O pessoal começou a tratar bem e eu chamei outros policiais para dar um uniforme para ela. Uma loja de petshop forneceu os cuidados e até a coleirinha com o nome”, afirmou.

Ainda, o cabo França ressaltou que os cuidados com Maria Divina representam a importância que a corporação dá ao gesto da adoção de animais. “Evitamos sofrimento e ganhamos um amigo”, afirmou Vinícius. Após cinco meses de convivência com os policiais, Vinicius explica que Maria já conseguiu criar uma rotina no local, com liberdade para caminhar e se divertir com quem quiser durante o dia. “Durante a noite, ela chega a seguir os policiais e começa a latir quando escuta algum barulho, parece estar treinando para ser PM também”, brincou o cabo.

Além de acompanhar os policiais nos trabalhos administrativos, Maria faz a vigilância da unidade militar e sempre late para avisar aos agentes sobre a chegada de uma nova pessoa no local. A cadelinha se adaptou tanto à farda que até faz pose quando sai na viatura, além de receber todos os policiais. “Como nosso pátio é grande e fechado, ela fica super à vontade. Todos os dias cedo, no hasteamento da bandeira, ela está junto aos policiais”, conta o cabo França ao portal G1.

Maria também se tornou figura pública com um perfil no Instagram (@mariadivina.stive), criado pelos próprios policiais da corporação.

Letícia Fortes

Estudante de Jornalismo na PUCPR e estagiária do Regra. Escrevo para evidenciar e esclarecer assuntos que exigem nossa atenção, pois essa é minha forma de defender uma comunicação humanizada, acessível e engajada socialmente.

Deixe uma resposta

La Brea da vida real Macabras pedras da fome surgem na Europa 3 músicos independentes que você precisa conhecer O que você não sabe sobre povos indígenas ​9 curiosidades sobre seu gato
%d blogueiros gostam disto: