fbpx

Como mudar o mundo?

Como mudar o mundo?

Um aluno certa vez me enviou pelo Instagram a seguinte mensagem “Dabliu, tô vivendo alguns dilemas na minha vida de estudante, queria saber se você pode me ajudar. O que eu posso fazer em economia que possa ser em prol da sociedade?”

Eu sei que essa pergunta que ele se fez e depois me fez é uma questão que passa pela cabeça de muitos de nós. E para respondê-lo, lhe mostrei uma entrevista com a economista e mais jovem vencedora do Nobel, Esther Duflo.

Se você nunca ouviu falar dela, procure saber, pois além da excelência (não à toa, ela se tornou Nobel de Economia aos 47 anos, a economista mais jovem a receber o prêmio e apenas a segunda mulher) ela também é uma inspiração na pesquisa sobre países pobres. Ao invés de pesquisar questões amplas, ela se aprofundou em entender pequenas questões que possam contribuir na redução da pobreza em um determinado local.

Em uma entrevista para o Valor Econômico, Esther conta que a grande epifania a respeito da sua profissão veio quando, ainda estudante de História na faculdade, ela trabalhou como pesquisadora-assistente, na Rússia. Ela viu que quando economistas importantes chegavam a Moscou para dar conselhos econômicos os políticos davam ouvidos. De acordo com ela “quando percebi: ‘oh, meu Deus, é isso o que os economistas fazem’, eu também quis fazer isso”.

Esther ganhou o Prêmio Nobel de Economia. É assim que podemos mudar o mundo? Claro que não. Se você atingir o Nobel na sua carreira, poderá ser uma ótima sinalização das coisas que você fez, mas você não precisa de um Nobel para isso. O que a Esther mostrou é que quando você se sente motivado a fazer algo de coração, independentemente do dinheiro, do “status” da profissão, você está pronto para mudar o mundo.

Pessoas que mudam o mundo para melhor têm em comum o fato de serem apaixonadas por aquilo que fazem. Alguns vieram de baixo e procuraram algo que pudesse dar sentido às suas vidas. Muitas pessoas comuns, não laureados com prêmio algum, mudam a vida de pessoas reais quando se entregam com paixão àquilo que escolheram. E a maioria delas nem precisou de formação acadêmica para isso.

Essa enorme crise que estamos vivendo pode ser uma ótima oportunidade para mudar o mundo para melhor. E todo mundo pode ter algo a oferecer.

professordabliu

Economista, Doutor em Desenvolvimento Econômico (UFPR/UCL). Atualmente é professor da Fundação de Estudos Sociais do Paraná (FESP) e na Business School da Universidade Positivo (UP). É também avaliador dos cursos de graduação pelo INEP.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: